Está aqui

Está aqui

  • Reconhecendo a necessidade da educação e formação, a AKF está a trabalhar com as principais escolas e organizações de jovens para providenciar as competências que os jovens precisam para poderem aproveitar as oportunidades de emprego.
    AKDN / Christopher Wilton-Steer
Fundação Aga Khan
Criar Esperança no Quénia

Uma nova iniciativa tem como objetivo dar oportunidades e inspirar os jovens do norte e das regiões costeiras do Quénia.

A Ilha de Lamu, conhecida pelas suas praias, pela história mercantil e pela sua cidade Património Mundial da UNESCO, tem conseguido evitar, até recentemente, grande parte da instabilidade que vem afetando o Quénia continental. No entanto, as rápidas mudanças sociais e económicas e uma insurgência ao longo da fronteira com a vizinha Somália estão a transbordar e a afetar a região. Apenas 21% das pessoas estão empregadas formalmente, e a ilha possui uma das mais baixas taxas de alfabetização do país. Apenas 13% de uma população de 115.000 pessoas tem formação secundária ou superior.

“Quando era criança, a comunidade era muito unida, as pessoas partilhavam tudo. Uma pessoa que trabalhasse conseguia sustentar toda a família”, diz o Vice-Governador de Lamu, Abulhakim Aboud Bwana. “Hoje, Lamu faz parte do mercado livre. O turismo, os manguezais, a pesca - estão todos em declínio e as únicas pessoas com segurança no emprego são as que têm um emprego formal, o que é raro. As pessoas estão assustadas. Sentem que foram deixadas para trás."

Os jovens estão particularmente vulneráveis às influências negativas e destrutivas que se tornaram uma séria ameaça à segurança regional.

"Sem educação e sem trabalho, o impacto na sociedade é o crime, o roubo e o abuso de drogas", diz Walid Ahmed, Diretor da Aliança da Juventude de Lamu. “Temos um problema com o uso de heroína. As mulheres são preparadas para casarem demasiado cedo para tentarem garantir o seu futuro. Os jovens simplesmente abandonam o sistema.”

akf-kenya-3._walid_ahmed_r.jpg

A Fundação apoia jovens líderes locais dedicados e comprometidos em construir um caminho mais positivo para a juventude no Quénia. Walid Ahmed, diretor da Aliança da Juventude de Lamu, cresceu enfrentando os mesmos problemas que os jovens enfrentam hoje, mas conseguiu encontrar o seu rumo e destacar-se com o apoio daqueles que viram nele um futuro auspicioso. Ele foi convidado pela Iniciativa Global Clinton em Nova Iorque, tendo sido reconhecido por Barack Obama no seu discurso em 2014.
Copyright: 
AKDN / Christopher Wilton-Steer

Criar Oportunidades para os Jovens no Norte do Quénia

Como resposta a estes desafios, e com o apoio da União Europeia, a Fundação Aga Khan está a trabalhar com a Islamic Relief Kenya e o recém-criado Conselho Nacional de Educação Nómada no Quénia para enfrentar a complexo espectro de problemas com que debatem os jovens dos condados de Lamu, Garrissa e Mandera.

Reconhecendo a necessidade da educação e formação, a Fundação está a trabalhar com as principais escolas e organizações de jovens para providenciar as competências que os jovens precisam para poderem aproveitar as oportunidades de emprego. A Fundação também está a trabalhar em estreita colaboração com empresas locais para garantir que os jovens estão prontos para o mercado de trabalho e com o governo local para garantir que os jovens têm a noção dos seus direitos.

O objetivo desta iniciativa passa por dar oportunidades a 16.000 jovens de ambos os sexos em situações de vulnerabilidade, entre os 15 e os 35 anos, que irão, por sua vez, apoiar mais de 25.000 familiares e a comunidade em geral.

A Fundação está a apoiar muitas organizações civis como estas para ajudar a orientar, formar e dar representação aos jovens do norte do Quénia. Estes grupos funcionam como plataformas através das quais os jovens podem aproveitar as oportunidades. Eles também ajudam os jovens a envolverem-se de forma construtiva com o governo local em questões de desenvolvimento local.

De forma surpreendente, estas organizações começaram a negociar programas de aprendizagem com grandes empresas do sector privado, como por exemplo grandes empresas de serviços públicos, assim como com empresas locais, tais como oficinas de carpintaria e salões de beleza.

Abood é um bom exemplo. Abood, outrora um jovem desocupado que ganhava a vida com os turistas no porto, ouviu falar de um curso na oficina de carpintaria de Maja Ali através da Aliança da Juventude de Lamu. Já se encontra a aprender o ofício há vários meses. "Um dia, quero montar o meu próprio negócio e dar emprego a jovens como eu", diz ele.

akf-kenya-67._maja_alis_carpentry_workshop_r.jpg

Em Lamu, Quénia, a oficina de carpintaria de Maja Ali é uma das muitas empresas locais com as quais colaboram os grupos de jovens apoiados pela AKF, com o objetivo de ensinarem competências e disponibilizarem programas de aprendizagem a jovens marginalizados e desocupados. Com o apoio da AKF, Maja foi capaz de comprar novos equipamentos e receber mais estagiários. Os jovens, que estavam na sua maioria desocupados e vulneráveis a influências criminosas, estão a aprender a ganhar a vida construindo cadeiras, camas, armários e outros móveis.
Copyright: 
AKDN / Christopher Wilton-Steer

A visão de longo prazo, de acordo com Atrash Ali Mohamed, Gestor da AKF para a Região Costeira, “é investir em 'superformadores' para melhorar a qualidade dos produtos, como o mobiliário, que irá ajudar estas empresas a crescer e ser capaz de contratar um maior número de jovens.”

O Salão de Beleza Mabruk é um exemplo de outra empresa identificada como tendo potencial. Com investimento financeiro para comprar mais equipamentos, em breve será possível contratar muitos mais estagiários. O seu proprietário, o jovem empreendedor Nuru Mohamed Obo, sente um forte sentido de responsabilidade cívica: “Há muitas raparigas em Lamu em casa sem competências e sem nada para fazer, gostaria de ajudá-las.”

Com o potencial existente para o regresso do turismo, também foi identificada a necessidade de formação para os serviços de táxi aquático. Os estagiários recebem uma licença oficial ao concluir um curso subsidiado que lhes permite prestar serviços de táxi aquático legalmente.

A AKF também trabalha com o Centro de Formação Profissional de Lamu. O investimento em equipamentos básicos, como materiais de costura, ferramentas de formação em eletrodomésticos, hardware de TI e equipamentos desportivos fez disparar o número de turmas de apenas uma mão cheia há um ano para um número superior a mil.

 

Foco no Fortalecimento da Sociedade Civil Local

A AKF tem uma parceria com o Ministério da Educação para integrar a educação baseada em valores nos currículos escolares, promovendo a tolerância, a paz e o pluralismo, para unir grupos díspares e construir um pilar contra ideologias extremistas. A AKF está comprometida em construir e fortalecer grupos cívicos, como a Aliança da Juventude de Lamu. A AKF orienta e apoia estes grupos para que cresçam e prosperem, para que possam continuar o seu trabalho importante e essencial durante muito tempo para lá da conclusão do programa.

Os grupos são formados em contabilidade, marketing, angariação de fundos e relações públicas, para que se tornem mais resilientes e sustentáveis e para que possam inclusive apoiar outros grupos cívicos.

Um Futuro Mais Auspicioso para os Jovens Quenianos

A região está numa encruzilhada. O investimento em organizações locais fortes da sociedade civil que promovam valores como a inclusão, tolerância e abertura é vital. Estas organizações são fundamentais para ajudar os jovens a percorrer a estrada acidentada por diante, e são um poderoso bastião contra aqueles que procuram dividi-los e prejudicá-los.

akf-kenya-148._noor_dahir_director_of_the_kiunga_youth_bunge_initiative_r.jpg

Noor Dahir, líder carismático da Iniciativa Bunge da Juventude de Kiyunga, também cresceu em Lamu, perto da fronteira com a Somália. Ao ver os jovens da sua comunidade a serem vítimas do desemprego e do abuso de drogas e a caírem nas mãos do al-Shabab, Noor ingressou num grupo de jovens, acabando por arranjar emprego num projeto de conservação local e tendo, posteriormente, fundado a sua própria organização local de juventude.
Copyright: 
AKDN / Christopher Wilton-Steer

Adaptado de um artigo escrito por Nicholas McGrath no site da Fundação Aga Khan do Reino Unido.