Está aqui

Está aqui

  • Qyrq Qyz (Quarenta Raparigas)
    AKDN / Jennifer Hauck
  • Qyrq Qyz (Quarenta Raparigas)
    AKDN / Jennifer Hauck
  • Qyrq Qyz (Quarenta Raparigas)
    AKDN / Jennifer Hauck
  • Qyrq Qyz (Quarenta Raparigas)
    AKDN / Jennifer Hauck
  • Qyrq Qyz (Quarenta Raparigas)
    AKDN / Jennifer Hauck
Iniciativa Aga Khan para a Música estreia “Qyrq Qyz” (Quarenta Raparigas), uma produção multimédia pioneira baseada num conto épico da Ásia Central

Genebra, Suíça, 28 de Fevereiro de 2018 – A Iniciativa Aga Khan para a Música (AKMI) abre caminho, como produtora e incubadora, de um trabalho artístico de vanguarda com a produção multimédia “Qyrq Qyz” (Quarenta Raparigas), cuja estreia terá lugar no Hopkins Center for the Arts, da Universidade de Dartmouth, a 1 de Março de 2018. A seguir às atuações em Dartmouth, “Qyrq Qyz” poderá ser visto em outros locais no nordeste dos Estados Unidos, até terminar uma digressão norte-americana de um mês na prestigiada Brooklyn Academy of Music a 23 e 24 de Março. Em baixo, poderão consultar todas as datas.

Criado e realizado pela galardoada cineasta usbeque, Saodat Ismailova, que colabora com a AKMI desde 2003, e com uma banda sonora composta e arranjada por Dmitri Yanov-Yanovsky, um dos artistas da Ásia Central mais aclamados e reconhecidos internacionalmente, “Qyrq Qyz” baseia-se num monumental, mas pouco conhecido conto épico da Ásia Central que celebra mulheres poderosas e o poder das mulheres, através das façanhas de um destemido e jovem grupo de “amazonas da estepe”. A nova produção junta filme e música ao vivo interpretada por alguns dos mais arrojados talentos de uma nova geração de carismáticas trovadoras do Cazaquistão, Caracalpaquistão, Quirguizistão e Usbequistão, todas elas especialmente ensinadas por grandes músicos nas suas respetivas tradições, trabalhando no âmbito do programa mundial de educação, da Iniciativa Musical Aga Khan.

“Qyrq Qyz” conta a história de Gulayim, a filha de 16 anos de Allayar, o chefe dos seminómadas Caracalpaques, que vive na fortaleza de Sarkop. Quando tropas inimigas invadem Sarkop e matam Allayar, Gulayim e as suas 40 companheiras respondem ao desafio, derrotando o inimigo e libertando o seu povo. Tal como outras guerreiras icónicas – Tómiris, Artemísia, Joana D’Arc, Hua Mulan – Gulayim e as suas quarenta raparigas personificam o fascínio universal com mulheres poderosas que contrariam as convenções do poder de género nas sociedades patriarcais.

Rodado na árida e ventosa estepe de Caracalpaquistão com atores amadores, a componente cinematográfica de “Qyrq Qyz” – que tem, por sua vez, uma atmosfera sonhadora, convulsiva e de lamento – mistura-se com canto a plenos pulmões, música instrumental pesarosa e uma ação quase ritualizada em palco, enquanto as amazonas trovadoras assumem a persona de Gulayim e as suas quarenta raparigas. A banda sonora de Dmitri Yanov-Yanovsky adapta primorosamente as enternecedoras canções de tradição oral das trovadoras e a música instrumental a uma linguagem musical contemporânea, enriquecida por um leque sinistro de percussão oriental e ocidental – que provém do único artista masculino a solo de “Qyrq Qyz”, o percussionista vanguardista cazaque, Alibek Kabdurakhmanov.

Segundo a diretora da Iniciativa Aga Khan para a Música e coprodutora de “Qyrq Qyz”, Fairouz Nishanova: “‘Qyrq Qyz’ reafirma o empenho contínuo da Iniciativa Musical, na procura e desenvolvimento de talentos artísticos excecionais nos países e nas comunidades onde trabalhamos. Criar esta produção pioneira conectou-nos a uma nova geração de extraordinários músicos da Ásia Central, cuja profunda inteligência musical e entusiasmo irão seguramente ajudar a moldar o futuro musical da região.” O consultor sénior da Iniciativa Musical e coprodutor de “Qyrq Qyz”, Theodore Levin, acrescentou: “Os produtores e a talentosa diretora artística de ‘Qyrq Qyz’, bem como o compositor/orquestrador e os artistas, confirmam o duradouro poder da tradição como fonte de inspiração nas artes.” A diretora artística de “Qyrq Qyz”, Saodat Ismailova, salientou o papel vital da Iniciativa Musical na origem e desenvolvimento da produção. “‘Qyrq Qyz’ foi um trabalho de colaboração em todas as suas etapas, e trabalhar no seio de uma organização que alia a visão e a imaginação à prática e à tenacidade foi essencial para dar vida à nossa criação coletiva.”

A lista completa de artistas inclui Raushan Orazbaeva (diretor musical, kobyz); Alibek Kabdurakhmanov (percussão, chang); Gumisay Berdikhanova (voz, girjek); Gumshagul Bekturganova (voz, dutar); Aziza Davronova (voz); Tokzhan Karatai (vozl, kobyz); Makhabat Kobogonova (voz, kyl-kiyak, chopo-choor, berimbau de boca); Arailym Omirbekova (voz, dombra); e Saltanat Yersultan (voz, jetigen).

"Qyrq Qyz": DATAS DA DIGRESSÃO

1 de Março:
Universidade de Dartmouth
Hopkins Center for the Arts
Moore Auditorium
19h00

4 de Março:
Universidade de Massachusetts, Amherst
Fine Arts Center
Bowker Auditorium, Stockbridge Hall
16h00

10 de Março:
Spruce Peak Performing Arts Center
Stowe, Vermont
19h00

14 de Março:
FirstWorks at RISD Auditorium
17 Canal Walkway, Providence, RI
19h30

23-24 de Março:
Brooklyn Academy of Music (BAM)
Harvey Theater
19h30

BIOGRAFIA DOS ARTISTAS

Saodat Ismailova é um dos mais bem-sucedidos nomes, com reconhecimento internacional, de uma nova geração de artistas da Ásia Central que atingiu a maioridade na era pós-soviética e que leva uma vida cosmopolita e artística, mantendo ao mesmo tempo uma ligação profunda à sua região nativa enquanto fonte de inspiração criativa. A sua longa-metragem de estreia, “40 Dias em Silêncio”, um comovente retrato de quatro gerações de mulheres tajiques que vivem sem a presença de homens, foi nomeada para Melhor Primeira Obra no Festival Internacional de Cinema de Berlim em 2014 e já passou em mais de duas dúzias de festivais de renome pelo mundo fora. A sua vídeo instalação, “Zukhra”, esteve em destaque no Pavilhão da Ásia Central na Bienal de Veneza em 2013, e o seu documentário “Aral: Fishing in an Invisible Sea” ganhou o prémio de Melhor Documentário no Festival de Cinema de Turim em 2004. Entre os seus inúmeros trabalhos estão nove documentários para a antologia em CD-DVD “Música da Ásia Central”, coproduzida pela Iniciativa Aga Khan para a Música e a Smithsonian Folkways Recordings. Saodat Ismailova vive em Tashkent e Paris, e está ligada a Le Fresnoy, o Estúdio Nacional de Artes Contemporâneas de França.

Dmitri Yanov-Yanovsky tem desenvolvido uma obra notável e culturalmente singular, caracterizada pela fusão de influências musicais da sua nativa Ásia Central com estilos pós-modernos da Rússia e da Europa do Leste. A música dele tem sido utilizada e interpretada por importantes músicos e organizações musicais, incluindo Yo-Yo Ma, a Orquestra Sinfónica de Chicago, a Orquestra Sinfónica da Carolina do Norte, o Kronos Quartet, a soprano Dawn Upshaw e o New Juilliard Ensemble. Yanov-Yanovsky era compositor permanente na Universidade de Harvard e ensinava também composição musical na Universidade de Dartmouth. A sua música tem sido reconhecida internacionalmente através de prémios, gravações e atuações em prestigiadas salas de concerto. Yanov-Yanovsky é também um prolífico compositor de bandas sonoras. De 1996 a 2006, foi diretor artístico do Festival Internacional de Música Contemporânea Ilkhom, em Tashkent, o único festival do género na Ásia Central.

NOTA

A Iniciativa Aga Khan para a Música (AKMI) é um programa inter-regional de educação musical e artística com uma atuação, alcance, tutoria e atividades de produção artística a nível mundial. Lançada por Sua Alteza o Aga Khan para apoiar talentosos músicos e professores de música que visam preservar, transmitir e desenvolver o seu legado musical de formas contemporâneas, a Iniciativa Musical iniciou o seu trabalho na Ásia Central, expandindo depois as suas atividades de desenvolvimento cultural de forma a incluir as comunidades artísticas e o público do Médio Oriente, Norte de África e Ásia do Sul.

A Iniciativa promove a revitalização do legado cultural, tanto como fonte de sustento para músicos, como um meio de reforçar o pluralismo nas nações onde ele é desafiado por restrições sociais, políticas e económicas. Os seus projetos incluem a publicação de um extenso manual, “A Música da Ásia Central” (Indiana University Press, 2016), uma antologia em CD-DVD com 10 volumes, “Música da Ásia Central”, coproduzida com a Smithsonian Folkways Recordings, um programa mundial de desempenho e divulgação que promove colaborações musicais “Este-Este”, mas também “Este-Oeste”, e uma rede de escolas de música nas regiões onde a Iniciativa Musical opera. (http://akdn.org/akmi)

Para mais informação sobre a Iniciativa Aga Khan para a Música, contactar:

akmi@akdn.org  ou info@akdn.org

ou

Nathalie de Groot
Aga Khan Music Initiative
1-3 Avenue de la Paix
1202 Geneva
Switzerland
Website: www.akdn.org/music