Está aqui

Está aqui

Speech center

Title Audio Image Lieu Publication Date Speech Date Short Title Speech Themes Speech Type Localisation Author Date Decade Evénement Communiqués de presse Publication URL Speaker Vidéo Caption Create Banner Item Cycle Enable Project Carousel External Media Hub page Newsletter category Pages to exclude Related Audio/Video Related Events Related In the Media Related News Related Photos Related Press Releases Related Projects Related Publications Related Speeches Slideshow Image Agence Tags Thématique Body GUID Summary Language
2020 Geneva Ministerial Conference on Afghanistan https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/2020-11-24-afghanistan-conference-r.jpg Geneva, Switzerland Tuesday, 24 Novembro 2020 1606212000 Statement by His Highness the Aga Khan at the 2020 Geneva Ministerial Conference on Afghanistan speech Afghanistan,Switzerland 2020s 6926 https://www.youtube.com/watch?v=8PqQHh0DfWI 1 Fundo Aga Khan para a Cultura,Serviços Aga Khan para a Saúde,Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico,Fundação Aga Khan,Serviços Aga Khan de Educação,Agência Aga Khan para o Habitat,Agricultura e segurança alimentar,Sociedade civil,Educação,Inclusão Financeira,Habitat,Saúde,Cidades Históricas,Desenvolvimento de infraestrutura ,Promoção Turística,Suíça https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/2020-11-24-afghanistan-conference-r.jpg Aga Khan Agency for Habitat,Aga Khan Agency for Microfinance,Aga Khan Education Services,Aga Khan Foundation,Aga Khan Fund for Economic Development,Aga Khan Health Services,Aga Khan Trust for Culture Agriculture and food security,Civil society,Education,Financial inclusion,Habitat,Health,Historic Cities,Infrastructure development,Tourism Promotion

Delivered by Ms. Sheherazade Hirji, AKDN ’s Diplomatic Representative to Afghanistan

Bismillah-ir-Rahman-ir-Rahim

Excellencies,
Ladies and Gentlemen,

I thank the Governments of Afghanistan and Finland and the United Nations for convening the international community at this special moment for Afghanistan and its peoples.

We join today with more hope than ever that peace is on the near horizon. But we are also all aware that this is a delicate moment in Afghan history.  

After almost two decades working together, we must all do everything possible to help seize this opportunity. The Ismaili Imamat and the Aga Khan Development Network reaffirm our deep and enduring commitment to the Afghan peoples, and to a peaceful, pluralist Afghanistan.

One of the lessons AKDN has learned from its work globally is that diversity and pluralism in our thinking are essential. Traditionally, differences have been seen as something that divides. We know they can also be a source of positive strength. As the Chairman of the Global Centre for Pluralism, founded in partnership with the Government of Canada, I firmly believe that the support of the Centre can be valuable to all stakeholders, as Afghans discuss how to create a lasting and enduring peace, reflecting all views and perspectives, recognising and respecting Afghanistan’s rich diversity.  I know that the Centre stands ready to support all the parties towards this goal.

As Afghanistan enters a new period of transition, it will need the contributions of all its people, men and women, in every part of the country, to address their common challenges: rising poverty, climate disruption, an unforgiving pandemic. It will need all their talents to build an inclusive future with more opportunities, requiring more education, more knowledge, more private initiative. In these endeavours, AKDN is, and will remain, a steadfast partner. 

Above all, we must ensure that our renewed pledges of support here are translated into tangible gains there, at the community level. Because it is by enabling people to work together purposefully, with visible results, that Afghans of all backgrounds will realise the power of peace to change their lives.

This is why AKDN will maintain the breadth of its work across the country. We will remain deeply engaged with the country’s education sector, where we have supported teachers and students, especially Afghan girls, in hundreds of schools. Our work to strengthen the health system spans our partnerships with Bamyan and Badakhshan, and the French Medical Institute for Children, with every AKDN agency contributing significantly to Afghanistan’s pandemic response. In culture, AKDN has restored some 150 heritage sites – symbols of the strength that came from Afghanistan’s connections to the rest of the world. The transformation of the Bala Hisar Citadel into an archaeological park is one of the latest examples of this work.

All of this must be underpinned by better economic opportunities for all Afghans. In this, AKDN has always insisted on the importance of Afghanistan’s neighbours for the country’s prosperity. AKDN has invested in regional connectivity and cooperation for decades, making gains in clean energy, financial services, infrastructure, and telecommunications, as these all enable livelihoods and underpin job creation. We are pleased to have been entrusted to take on the generation, transmission and delivery of energy through Badakhshon Energy, an innovative public-private partnership for Afghanistan, serving the entire province. We will also continue to help build human capacity throughout Central Asia, linking Afghanistan to its brothers and sisters through education, healthcare, and the Aga Khan University and the University of Central Asia.

During our twenty-five years in Afghanistan, AKDN has been guided by a fundamental belief that the key to the country’s future is in a vibrant, meritocratic, pluralistic civil society – in the Afghan people and in long-term institutions anchoring their contributions to the common good.  As I close today, I reaffirm our commitment to working through them, along with the Afghan government and all our international partners, to strive for an Afghanistan that is peaceful, diverse, and dynamic.   

Thank you.

 

speech_253595 Inglês
2020 Afghanistan Conference https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/gallery/2-aktc-afghanistan-3.1.1_noh_gunbad_d_02_r.jpg, https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/aktc-afghanistan-babur_8.jpg, https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/8-aku-afghanistan-fox24399_r.jpg, https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/akf-afghanistan-education6.jpg, https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/akf-afghanistan-170806-r.jpg Geneva, Switzerland Tuesday, 24 Novembro 2020 1606124700 Remarks by Michael Kocher, General Manager of the Aga Khan Foundation, at the 2020 Geneva Ministerial Conference on Afghanistan speech Afghanistan,Switzerland 2020s 253592 https://www.youtube.com/watch?v=Nu8lyieA49E 1 Fundo Aga Khan para a Cultura,Serviços Aga Khan para a Saúde,Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico,Fundação Aga Khan,Serviços Aga Khan de Educação,Agência Aga Khan para o Habitat,Agricultura e segurança alimentar,Sociedade civil,Educação,Inclusão Financeira,Habitat,Saúde,Cidades Históricas,Desenvolvimento de infraestrutura ,Promoção Turística,Suíça https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/gallery/2-aktc-afghanistan-3.1.1_noh_gunbad_d_02_r.jpg Aga Khan Agency for Habitat,Aga Khan Agency for Microfinance,Aga Khan Education Services,Aga Khan Foundation,Aga Khan Fund for Economic Development,Aga Khan Health Services,Aga Khan Trust for Culture Agriculture and food security,Civil society,Education,Financial inclusion,Habitat,Health,Historic Cities,Infrastructure development,Tourism Promotion

Excellencies,
Ladies and Gentlemen,

As the General Manager of the Aga Khan Foundation, it is an honour to speak today on behalf of the Aga Khan Development Network, or AKDN, as we have invested in Afghanistan’s people and prospects for 25 years. We are committed to continued partnership with Afghanistan’s Government and the priorities it leads with great thought and resilience. 

We are one of the country’s earliest investors, operating both not-for-profit and for-profit institutions, engaging a broad range of partners in the process, but always with a singular goal: Afghanistan's development. We see great added value in unifying regional partnerships with Afghanistan’s neighbours, not only for better physical connectivity but also for strong social bonds that underpin not only economic progress but peace and stability. 

That is why we established Roshan Telecommunications, restored and run the Serena Hotel, founded the First Microfinance Bank of Afghanistan, and also the new public-private partnership – Badakhshon Energy (like Pamir Energy in Tajikistan) – all examples of flagship economic projects that feature innovative partnerships – in addition to AKDN's numerous education, healthcare, livelihoods, civil society and cultural programmes and institutions. 

I make today four points concerning partnership, economic development and aid effectiveness:

First, experience shows aid can and must address physical constraints – roads and bridges, telecommunications, energy and other infrastructure assets – for cities but also for remote and under-served areas. This comprehensive internal connectivity is as necessary as better links to external markets. Here we must not neglect rural Afghanistan, so critical to stability and growth. The partnership approach here is simple yet at times done too rarely – meaningful engagement with communities on what they need – be it a bridge, micro-hydel, access road or irrigation channel – at the village, district, provincial and even the cross-border level.

Second, progress demands broader multi-sector programmes. Partnering often with smallholder farmers, for example, AKDN’s agribusiness investments are further catalysts for economic objectives – so too the planned extension to Afghanistan of AKDN’s regional enterprise initiative, Accelerate Prosperity, supporting micro, small and medium enterprise. 

Further, there are projects that might be defined as “social” or “cultural”, but central to economic progress. Examples include: the French Medical Institute for Mothers and Children, where we engage the Ministry of Health and the French Government; our work with a broad range of community groups and local government bodies through the Afghan Citizen’s Charter to underpin civil society; the development of the Bagh-e-Babur and Chihilsitoon gardens, and the Riverfront project in Kabul, where we partner with local artisans, urban planners and businesses toward enhancing quality of life and the local economy. 

The third key ingredient is consistency. Investors make decisions based upon predictability, the reliability of rules and regulations. Afghanistan and its international partners should continue creating clearer, consistent regulatory frameworks, guided by the rule of law and transparency. This applies as well to the governance and management of Afghanistan's many natural resources. Protecting its extraordinary natural environment – and combating climate change – are without question of utmost importance for sustainable, inclusive economic development. Community groups – civil society - must be at the table throughout.

The fourth and final key dimension is of course people, the country’s greatest resource. Major strides have been made in education across the past two decades, especially for women and girls, and this must continue. But the country needs more qualified professionals – teachers and administrators, engineers and accountants, nurses and doctors, entrepreneurs and managers.  

This is why we invest in skills development, executive and vocational training, and education. Greater investment in education – including education technology – at all levels is critical, from early childhood development to university post-graduate. As but one example during the pandemic, the Aga Khan Foundation has partnered with the Afghanistan Ministry of Education and Afghan radio and television stations to support public education in remote areas. We also partner with a range of private foundations in support of education in Afghanistan.

Across these points, smart community-driven aid, linked to local needs, enables the private sector. Given the importance of public-private partnerships, bilateral and multilateral partners must also remember that grants and blended financing encourage investments.

In conclusion, these four building blocks – investments in connectivity and infrastructure, multi-sector development, regulatory consistency and human capital – will spur growth and help the country look forward with confidence, and all the more so when a full range of viable partnerships is viewed strategically and expansively, in-country and regionally.

Linked to all these themes, fully including women – individually and through private associations, cooperatives and collectives – is essential. 

Similarly, enabling a vibrant civil society – alongside embracing purposefully the country’s remarkable pluralism – is key for economic development, aid effectiveness and self-reliance. Afghanistan requires an inclusive approach to civil society to reach its extraordinary potential.

Again, AKDN expresses its sincere thanks and appreciation for the Government of Afghanistan’s clear vision, rightfully bold ambitions, determined leadership and continued partnership. 

Thank you.
 

speech_253593 Inglês
16th Convocation of the Aga Khan University in Kenya https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku_kenya_img_4442.jpg Nairobi, Kenya Wednesday, 12 Fevereiro 2020 1581519600 Discurso da Representante dos Alunos Faith Oneya, Mestre em Jornalismo Digital na 16ª Cerimónia de Entrega de Diplomas da Universidade Aga Khan em Nairobi, Quénia speech Kenya 2020s 244151 1 Aga Khan University Education,Health,Media

Convidado Principal Dr. Rashid Abid Aman
Membros do Conselho de Administração, 
Presidente Firoz Rasul,
Preboste Carl Amrhein, 
Membros do Corpo Docente, 
Caros Colegas de Graduação,
Os nossos queridos familiares e amigos hoje aqui presentes, 
Ilustres convidados,
Senhoras e senhores,

Bom Dia!

Nelson Mandela disse uma vez que a educação é a arma mais poderosa que podemos usar para mudar o mundo, e nesta ocasião auspiciosa em que olhamos para trás e celebramos as conquistas dos alunos graduados, acredito profundamente que cada um dos alunos graduados hoje aqui está a ganhar poder para mudar o mundo.

Tenho orgulho de fazer parte de uma excelente turma de graduados de 2019, formada pela Faculdade de Medicina, Escola de Enfermagem e Obstetrícia, Instituto de Desenvolvimento Educacional, e a mais recente adição à família em crescimento da Universidade Aga Khan, a Escola Superior de Média e Comunicações. Sinto-me profundamente honrada por ser um membro pioneiro do programa de Mestrado em Jornalismo Digital e é com grande humildade que faço hoje este discurso em representação de todos os alunos.

O facto de estarmos hoje todos a celebrar a nossa graduação é um testemunho do nosso trabalho árduo, do nosso compromisso e dos sacrifícios que fizemos todos nos últimos anos. Estou convencida de que a felicidade que hoje enche esta sala tem por base tanto a alegria das nossas conquistas académicas como a emoção do esforço coletivo para chegar até aqui.

A designação dos cursos que terminámos podem ter sido diferentes, mas o esforço académico foi o mesmo. Hoje, deixamos para trás uma rigorosa vida académica. Deixamos para trás o difícil equilíbrio entre o trabalho, a família e a escola.

O maior sacrifício para mim foi o tempo que passei longe da minha família - especialmente da minha filha -, mas o que me fez continuar foi saber que esta era uma dor necessária e que acabou por valer a pena, para mim e, estou certa, para todos os meus colegas de graduação. Enfrentámos habilmente um trânsito horrível para tentarmos chegar a horas às aulas da manhã e da noite. Passámos noites sem dormir, a terminar trabalhos que surgiam a um ritmo constante, a ler livros académicos complicados, e fizemos exames ainda mais difíceis. Mas estamos aqui. Conseguimos.

Fazer um exame ou um trabalho académico, como sabemos, é um esforço solitário. Pode ser uma tarefa bastante desacompanhada. No entanto, o sucesso de qualquer licenciado depende do apoio daqueles que o rodeiam.

Gostaria de agradecer a algumas das pessoas que nos acompanharam nesta jornada académica.

Antes de mais, gostaria de agradecer em especial a Sua Alteza o Aga Khan, o Chanceler da Universidade Aga Khan pela sua liderança visionária e pelas suas doações generosas que apoiam a existência da universidade. Foi a sua visão que nos permitiu ter acesso a uma educação de qualidade.

Aos nossos patrocinadores, obrigado por acreditarem em nós e por nos permitirem o privilégio de podermos perseguir os nossos sonhos através da educação. Como membro da turma inaugural da Escola Superior de Média e Comunicações, quero também fazer um agradecimento especial ao governo alemão através do KfW e BMZ por oferecerem bolsas de estudos para apoiar o nosso percurso académico. Asanteni sana.

Aos membros do corpo docente, obrigado por nos fazerem chegar mais alto no nosso trajeto académico do que alguma vez pudemos imaginar. Obrigado por nos fazerem avançar incessante e incansavelmente, mesmo quando recuávamos ou ameaçávamos desistir, por vezes ruidosamente. A vossa natureza de compreensão e apoio inabalável foram essenciais para esta nossa vitória académica de hoje.

Agradecemos à administração da escola, aos bibliotecários e a toda a equipa da Universidade Aga Khan que, de diferentes formas, nos apoiaram nesta busca pela educação.

Continuamos em dívida com os nossos familiares e amigos que investiram e sacrificaram tempo, dinheiro e muito mais para nos levarem até onde estamos hoje. Todos estes agradecimentos demonstram que, de facto, é necessária uma aldeia para uma pessoa ter sucesso.

Senhoras e senhores, peço-vos que me permitam levar-vos de volta à minha interação inicial com a Universidade Aga Khan. No formulário de inscrição para ingressar no Programa de Mestrado em Jornalismo Digital, uma das perguntas que tive de responder foi: Porque escolheu a Universidade Aga Khan?

Não vos vou dizer a resposta que escrevi, porque esta não captou minimamente a essência e a singularidade da Universidade Aga Khan. Mas vou dizer-vos o que deveria ter escrito, pois estas são as coisas que mais valorizei ao longo dos dois anos do meu percurso académico.

Uma das coisas que diferencia esta universidade das restantes é a sua abordagem educacional centrada no aluno. Se forem como eu, que vim de um contexto em que o professor era a lei e a interação entre professor e alunos era limitada, a abordagem da Universidade Aga Khan também vos poderá ter espantado.

Fiquei intrigada. Que queriam dizer com aquilo? Não viríamos para as aulas para receber lições e instruções sobre o que fazer?

Deixem-me pôr isto em perspetiva. Os professores estavam à nossa disposição sempre que precisávamos deles e o seu apoio não pode ser sobrestimado. O formato de ensino também era flexível, divertido e muito envolvente. O que não quer dizer que os programas não fossem extremamente exigentes ou intelectualmente motivantes. A aprendizagem também foi uma grande experiência. Fomos bastante encorajados a expressar as nossas ideias e a partilhar opiniões com os professores e, desta forma, sempre nos sentimos valorizados como estudantes. Estas são as coisas que tornaram a Universidade Aga Khan um local muito especial para mim.

A Universidade Aga Khan não foi apenas um lugar onde desenvolvemos conhecimentos; também criámos redes de contactos maravilhosas que iremos levar para o futuro. Sei que estou a falar por muitos de nós quando digo que as nossas competências interpessoais e de liderança foram postas à prova e apuradas através de debates na sala de aulas, trabalhos de grupo e projetos de turma.

Para os médicos, enfermeiros, professores e jornalistas que hoje se formam, apelo para que deixem a vossa marca no universo através do impacto que venham a criar nas vossas respetivas profissões, colocando os vossos pacientes, estudantes e públicos no centro de tudo o que fizerem.

Como alguém que acredita na aprendizagem ao longo da vida, espero que este seja apenas o começo para todos nós. Inspiro-me na sabedoria de Kimani Maruge, detentor do recorde mundial do Guinness para o homem mais velho a matricular-se na escola primária aos 84 anos, que disse que só deixaria de aprender quando tivesse terra nos ouvidos. Que vocês nunca parem de aprender.

Parabéns, Turma de 2019. 

Deus abençoe a Universidade Aga Khan.

speech_244161 <p dir="rtl">"لم تكن جامعة الآغا خان مجرد مكان اكتسبنا وعززنا فيه معرفتنا، فقد أنشأنا أيضاً شبكات رائعة سترافقنا نحو المستقبل. أعلم أنني أتحدث بلسان الكثير من زملائي الخريجين عندما أقول إن مهاراتنا الشخصية والقيادية قد تم اختبارها وشحذها من خلال المناقشات والمشاريع داخل الفصول، فضلاً عن العمل الجماعي".</p> Inglês
16th Convocation of the Aga Khan University in Kenya https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku_kenya_mg_9264.jpg Nairobi, Kenya Wednesday, 12 Fevereiro 2020 1581518700 Discurso do Convidado Principal Dr. Rashid Aman, Secretário de Estado do Ministério da Saúde na 16ª Cerimónia de Entrega de Diplomas da Universidade Aga Khan em Nairobi, Quénia speech Kenya 2020s 244146 1 Aga Khan University Education,Health,Media

Presidente da Universidade Aga Khan, Firoz Rasul,
Representante Diplomático da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento, Dr. Azim Lakhani, 
Administradores da Universidade Aga Khan, 
O Preboste,
Representantes do governo, membros do corpo diplomático, 
Reitores, professores e funcionários da Universidade,
Pais, e mais importante, os nossos alunos licenciados,

Salaam Aleikum e Bom Dia.

É com grande prazer que presido a esta 16.ª cerimónia de entrega de diplomas da Universidade Aga Khan. Hoje é um dia de grande celebração, não apenas para os alunos licenciados, mas também para os seus pais, tutores, professores e funcionários da Universidade, e na verdade para todos nós.

Partilho a alegria e o orgulho de todos aqueles associados ao sucesso dos 94 licenciados aqui presentes, os quais, segundo sei, são alunos da Faculdade de Medicina, da Escola de Enfermagem e Obstetrícia, da Escola Superior de Média e Comunicações e do Instituto de Desenvolvimento Educacional da Universidade.

Caros licenciados, as minhas mais calorosas felicitações!

A Universidade preparou-vos para lidarem eficazmente com questões emergentes e criar soluções para os desafios da sociedade, à medida que entram no mundo da atividade profissional como médicos, enfermeiros, investigadores, educadores e especialistas em jornalismo digital.

Gostaria também de expressar os meus sinceros parabéns à Rede Aga Khan para o Desenvolvimento pelo crescimento sustentado que tem tido ao longo dos anos. Observo com orgulho que através das várias instituições da rede, a AKDN continua a contribuir positivamente para a melhoria das condições de vida e das oportunidades em regiões específicas do mundo em desenvolvimento. Especialmente em áreas que vão desde os sectores da saúde e educação ao desenvolvimento rural e à promoção de empresas do sector privado. Na verdade, o seu foco na excelência, humanidade, justiça, bondade e colaboração tem garantido o seu crescimento contínuo.

Ilustres senhoras e senhores, a educação é o principal meio de transformação de uma sociedade. Permite que a sociedade estimule os líderes jovens com a capacidade necessária para fazer cumprir a agenda de desenvolvimento em relação à geração de riqueza, prestação de cuidados médicos, reversão da pobreza e sustentabilidade do ambiente.

Tenho conhecimento de que a Rede Aga Khan para o Desenvolvimento também está a construir um Centro Universitário com vários andares em Nairobi para oferecer instalações de investigação e aprendizagem de última geração. E que planeia adicionar uma série de novos cursos de licenciatura e pós-graduação. Sei também que os seus planos para o futuro incluem a construção de um hospital pediátrico. Nesse sentido, o governo garante à AKU o nosso total apoio a este processo de importante expansão.

Os cuidados de saúde especializados e a necessidade de combater e reverter o aumento de doenças não-transmissíveis, especialmente o cancro, continuam a ser uma preocupação central do governo, em relação à qual nunca poderemos ser complacentes. A sua expansão dos serviços de imagiologia molecular e oncologia no passado recente é de particular importância para o governo, na medida em que permitem aumentar o acesso a cuidados de saúde especializados nesta região, tornando o Quénia um centro de turismo médico, em linha com a visão do país para 2030.

Ilustres convidados, senhoras e senhores, como sabem, o nosso país está no ponto de partida de um processo de crescimento e transformação acelerados sem precedentes, graças à agenda dos 'Quatro Grandes' de Sua Excelência o Presidente Uhuru Kenyatta, que inclui a cobertura universal de saúde, manufaturação, habitação a preços acessíveis e segurança alimentar.

O Ministério da Saúde está comprometido em prosseguir a implementação de sistemas e reformas de saúde para acelerar a mudança em direção a uma Cobertura Universal de Saúde. A nossa abordagem em relação à Cobertura Universal de Saúde está apoiada em três fatores fundamentais que se concentram em: i) expandir o acesso da população a intervenções básicas de saúde; ii) melhorar a qualidade dos serviços de saúde prestados; e iii) desenvolver modelos de financiamento sustentáveis para o sector da saúde e disponibilizar proteção financeira a quem procura cuidados de saúde.

É com agrado que observamos que a AKDN está a dar uma tremenda contribuição e a colaborar connosco nestas áreas de foco através do vosso trabalho no Hospital da Universidade Aga Khan, com capacidade para 300 camas, nos vossos 42 centros médicos no Quénia e nos campos médicos gratuitos, e no Programa de Bem-Estar do Paciente gerido pela rede, sem esquecer a razão pela qual estamos aqui hoje, que é a criação dos recursos humanos para a saúde de que precisamos para uma Cobertura Universal de Saúde.

Senhoras e senhores, como sabem muito bem, os recursos não são ilimitados. O Ministério da Saúde e os nossos governos municipais operam com orçamentos com recursos limitados. O apoio, a colaboração e os investimentos em saúde por parte do sector privado, dos parceiros de desenvolvimento e de organizações religiosas e não-governamentais, complementam as funções do governo no sector da saúde e são muito bem-vindos.

Para acelerar a consecução de uma Cobertura Universal de Saúde no Quénia, o Ministério continuará a reforçar as parcerias colaborativas multissectoriais e intersectoriais. Na verdade, em breve iremos lançar uma estrutura de coordenação de parcerias que irá fortalecer ainda mais os compromissos, apoiar a prestação de contas e a responsabilidade mútua entre as várias partes intervenientes no sector da saúde.

Para vocês, caros licenciados, não foram poupados esforços para garantir que atingiam o sucesso que hoje aqui celebramos. Lembrem-se sempre de que o verdadeiro crescimento é resultado de muito trabalho, dedicação e foco. Estão a entrar num mundo que não só está preparado para vocês como vos irá exigir soluções e serviços criativos enquanto profissionais de cuidados de saúde, formação de competências e ética jornalística. Que transmitam razão e esperança a todos aquele que tocarem nas vossas vidas pessoais e profissionais. Que os vossos esforços futuros sejam profundamente gratificantes.

Por fim, ilustres convidados, senhoras e senhores, aproveito a oportunidade para desejar à Universidade e a toda a rede um sucesso continuado ao longo dos próximos anos.

Obrigado.

speech_244156 <p dir="rtl">"بالنسبة لكم أيها الخريجون، لن ندخر أي جهد في ضمان مواصلة نجاحكم الذي تحتفلون به اليوم. تذكروا دائماً أن النمو الحقيقي هو ثمرة للعمل الجاد والتفاني والتركيز. إنكم تدخلون عالماً ليس جاهزاً لكم فحسب، بل يشكّل أيضاً اختباراً لحلولكم وخدماتكم الإبداعية كمقدمين محترفين في مجالات الرعاية الصحية ومهارات التعليم والأخلاقيات الصحفية. أتمنى أن تتحلوا دائماً بالمنطق وتجلبوا الأمل لجميع من تتواصلون معهم في حياتكم المهنية والشخصية، وأتمنى أيضاً أن تُتوج مساعيكم المستقبلية بالنجاح الكبير".</p> Inglês
16th Convocation of the Aga Khan University in Kenya https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku_kenya_mg_9228.jpg Nairobi, Kenya Wednesday, 12 Fevereiro 2020 1581517800 Welcome address by President Firoz Rasul at the 16th Convocation of the Aga Khan University in Kenya speech Kenya 2020s 8941 1 Aga Khan University Education,Health,Media

Our Chief Guest, Ministry of Health Chief Administrative Secretary Dr Rashid Aman,
Aga Khan University Trustees Mr Yusuf Keshavjee and Professor Antonio Rendas, Members of Government,
Members of the Diplomatic Corps,
Leaders, faculty, and staff of the University, Parents, alumni, partners, and supporters,
Distinguished guests,
And, most importantly, our graduands,

Hamjambo and karibuni. Welcome to the 16th Convocation of the Aga Khan University in Kenya.

Thank you all for joining us for the most important and the most joyous day on the University’s calendar. Convocation is the culmination of all our efforts. Today, we celebrate the success of our graduands and look forward to the impact they will have on the lives of their fellow Kenyans.

Before we proceed, I would like to pause to remember His Excellency President Daniel arap Moi. Yesterday, we saw the nation commemorate his service and his legacy as Kenya’s longest- serving President. On behalf of the Aga Khan University, I offer condolences to the family of Mzee Moi and the people of Kenya as they lay him to rest. Ladies and gentlemen, please join me in observing a moment of silence.

Thank you.

Members of the Class of 2019, yours has been a remarkable journey.

You faced innumerable challenges, and you overcame them all – from implementing new pedagogies in the classroom, to completing action research projects in your clinics and hospitals, to making your first contribution to humanity’s storehouse of knowledge.

You forged relationships with classmates, colleagues, and faculty from across Kenya and beyond, learning first-hand how poorly stereotypes prepare us for the infinite complexity of our fellow humans.

You discovered how much there is to learn and how many profound questions remain unanswered, or even unasked.

Throughout your time at the Aga Khan University, we asked you to meet the highest standards. It was not easy, was it? But you did it.

You have earned your degrees and diplomas. You did so thanks to your love of learning, your hunger to develop your capacities, and your desire to help solve problems facing your communities and your country.

You make us proud. You and your family members should be proud of what you have achieved. You have the knowledge and skills to change the people’s lives for the better.

Ladies and gentlemen, please join me in congratulating the Class of 2019.

We have many people to thank for making today possible. Our faculty and staff are tireless in their dedication to our mission. That very much includes our Registrar, Mr. Lou Ariano. After raising the bar for the precision and decorum of our convocations for 11 years, this is Lou’s final convocation in East Africa. Thank you, Lou, for all your contributions to AKU.

We must recognise our alumni, whose achievements have burnished the name of the Aga Khan University across Kenya and East Africa and around the world.

And, of course, we must acknowledge the generosity of our donors. Every year, thousands of friends, alumni, current and former faculty and staff donate to the Aga Khan University. Their gifts make it possible for us to provide advanced facilities for learning, to offer scholarships, to conduct ground-breaking research, and much more – even in difficult economic times.

We also have many institutional supporters to thank. I would like to express our gratitude to the Aga Khan Foundation; the Johnson & Johnson Foundation; Global Affairs Canada; the French Development Agency, AFD; the German government’s BMZ, the German Development Bank, KfW; Deutsche Welle Akademie; the Bill & Melinda Gates Foundation; the Conrad N. Hilton Foundation; ELMA Philanthropies; and numerous other organisations that support our work.

Our greatest debt of gratitude is to our founder and Chancellor, His Highness the Aga Khan, whose ongoing financial support, vision, and inspiration continue to drive our University to greater heights.

For example, the Aga Khan University was named in 2019, one of the top 100 universities in the world in clinical medicine by the Shanghai Ranking of World Universities.

It is an amazing honour. Especially because there was no other university in East Africa on this list or Asia made the top 100.

Our ranking reflects the research prowess of our faculty. But it was our Chancellor who laid the groundwork by committing the University to the pursuit of world-class standards and excellence.

Ladies and gentlemen, this is an extraordinary time in the history of the world. It is exciting, disorienting, and sometimes disturbing.

When the complexity of events breeds incomprehension and apprehension, the speed of change sows confusion, and partisans propagate disinformation – that is when universities prove just how indispensable they are. The combination of dispassionate clarity and bold innovation that the best universities offer has never been more valuable.

This is the Aga Khan University’s time to shine. And we are rising to the challenges and opportunities of this era.

One of the most important developments of our time is the emergence of new fields such as artificial intelligence, data science, genomics, stem cell science and regenerative medicine. They have enormous potential to extend and improve our lives and advance our understanding of the world we inhabit. I am proud to report that the Aga Khan University is working to fulfil the promise of these new fields.

With the support of the University of California, San Francisco, our Centre for Regenerative Medicine and Stem Cell Research has begun to contribute to the global search for new treatments for chronic diseases, such as heart disease, cancer, neurological diseases, and diabetes. The AKU researchers are also utilising data science and artificial intelligence to generate new insights into malnutrition, cardiac surgery outcomes for children, the increase in incidences of heart diseases in women – as well as to piece together and analyse the original versions of historic Arabic texts.

But advances like these also create a tremendous challenge. Namely, the challenge of making sure they benefit the whole world, and not just the fortunate few.

In the words of our Chancellor: “The populations of Asia and Africa cannot be isolated from the best simply because they have been born in countries outside the Western world.”

Therefore, the Aga Khan University is helping to build Africa’s and Asia’s capacity to deliver high-quality health care and education.

Here in Nairobi, we are launching three new master’s degrees, in nursing, midwifery, and media leadership and innovation. We are establishing a Centre for Cancer Research to develop treatments specifically for East Africa’s population, and will soon commence the construction of a Children’s Specialty Hospital to provide advanced paediatric care. Across the street, construction is underway on the twin towers of our University Centre, which will provide cutting-edge learning and research spaces for our students and faculty.

In Kilifi and Kisii counties, the Aga Khan University is supporting efforts to improve health for 135,000 women and children in partnership with the government and agencies of the Aga Khan Development Network.

Meanwhile, across Kenya, the professional development programmes of the University’s Institute for Educational Development have benefitted 900 educators and nearly 70,000 students.

In this global era, it is imperative that institutions collaborate across boundaries of all kinds to share and grow knowledge, and to increase cross-cultural understanding.

This is precisely what the Aga Khan University is doing. The number, depth, and diversity of our partnerships are greater than ever.

Last year alone, we signed or renewed partnership agreements with the University of Washington and the Fred Hutchinson Cancer Research Center in the United States, the University of Alberta and the University of Calgary in Canada, and NOVA University of Lisbon in Portugal.

Our Graduate School of Media and Communications offers a joint course in adaptive leadership with Harvard University’s Kennedy School of Government. And our Institute for the Study of Muslim Civilisations in London now offers a dual degree with Columbia University in New York.

These are some of the many ways that AKU is evolving to meet the demands of a changing world, and to deliver on its mission of improving the quality of life in Africa and Asia.

Ultimately, however, our most important contribution to the societies we serve is our graduates.

As of today, the number of Kenyans who have graduated from the Aga Khan University stands at more than 1,500. From Mombasa to Turkana to Nairobi, they are leading change – as educators, clinicians, entrepreneurs, advocates, public servants, and policymakers. And now, with the awarding of our first master’s degree in digital journalism, they will be making their mark in the media sector as well.

It is an amazing group of men and women. So amazing, in fact, that we felt that they deserved a mascot. And graduands, as I think you know, you now have one: the AKU leopard.

We chose the leopard as our symbol because we feel it represents three traits that are common to all our students and alumni – indeed to the entire the AKU community. These traits will serve you well in the years ahead.

The first trait is courage. The courage to embrace the new and attempt what you have never done before. The courage to stand up against unethical practices in the face of pressure to fall in line.

The second trait is perseverance. Inevitably, there will be times when, despite your best efforts, you will fall short. There is no shame in that: to never risk failure represents a failure of courage.

What matters is what you do next. Remember that those who survive disappointment with their determination intact, and learn the hard lessons it has to teach, are forces to be reckoned with.

The third trait is agility. Today, change happens in the blink of an eye. Technology is reshaping everything from work to relationships to attention spans. The world’s centre of gravity is shifting from the West to the East and from the North to the South. In Kenya, as in many other countries, young people are the majority of the population – and I do not need to tell you, they are impatient with the status quo.

To maintain your balance in such world, you need the agility of a leopard.

Stay agile, remain courageous, and continue to persevere – and you will surely achieve all that you are capable of.

In a few moments, you will officially become part of the Aga Khan University alumni community. You and your fellow graduates share formative experiences and foundational values. Connect with one another. Collaborate with one another. Together, you are a powerful force for change. Remember: you are all leopards.

Graduands, the world needs you. It needs the knowledge you have acquired, the confidence you have developed, and the discoveries you have made about yourselves, your fellow humans, and our world.

This is your time to shine. I know you that all of you will make the most of it. Thank you and Asanteni Sana.

 

speech_244141 Inglês
17th Convocation of the Aga Khan University, Uganda https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-uganda-graduation-2020_gt20919_r.jpg Kampala, Uganda Monday, 10 Fevereiro 2020 1581158700 Chief Guest remarks by Professor Francis Omaswa at the 17th Convocation of the Aga Khan University, Uganda speech Uganda 2020s 243911 1 Educação,Uganda,Universidade Aga Khan,Saúde https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-uganda-graduation-2020_gt20919_r.jpg Aga Khan University Education,Health

President Firoz Rasul,
Ambassador Amin Mawji,
Members of the Board of Trustees of the Aga Khan University,
Members of Government and the Diplomatic Corps,
Faculty and staff of the University,
Distinguished guests,
And, above all, the graduating students today,

Good morning. It is a great pleasure to be here with you today to celebrate the graduation of the Class of 2019.

I am well aware of the outstanding reputation of the Aga Khan University here in Uganda, of its hospital in Nairobi and around the world. We look forward to the establishment of a new Aga Khan University Hospital in Kampala, and we see it is a most welcome development. It will surely help to raise the standard of care, to educate health care leaders, and to generate knowledge that is needed to address some of Uganda’s critical health challenges. And it will add to the choices of the people of Uganda in seeking healthcare.

My main remarks today are addressed to you happy graduands of today. I address you as you commence your respective journeys in the health profession here in Uganda, in Africa and globally. Imagine, where do you want to be twenty or thirty years from today? I am sure you have been thinking about the answer to this question. What I will do now is to share with you some thoughts from my own fifty years of walking this route.

I graduated as a medical doctor in 1969 – it is just over fifty years. So, medicine is just not my profession, it is also my passion. And what I am going to say today is not about praising myself but it is more about being able to inspire you graduands of today to perform even better than myself. Here are some suggestions for your consideration.

First and foremost, I encourage you to take good care of yourselves through personal self- discipline. Do not take for granted simple things like being clean, eating well, dressing smart, keeping good company. Keep company with those who will advance your career. Join professional associations and be active in them. That is where you will meet those who will not pull you down but lift you up.

Second, I would like to call upon you to pursue excellence in whatever you do. Everything you do must be done to the highest achievable standards taking into account your personal capability. This, therefore, includes big and small things, which you handle in life. Do keep in mind that what you are doing well today, you can even do better tomorrow. This is known as continuous quality improvement in the sphere of quality management. In this way, you will grow professionally and socially.

Third, you need to cultivate people skills – how to get around in a very complex world. When I was a schoolboy, I was introduced a book ‘How to Win Friends and Influence People’. I found this book very useful and like to recommend it to young people. In your life, you are going to meet all types of people – those who are nice and friendly, and those who are nasty and aggressive. You will meet generous people, you will meet greedy and mean people, but you will have to manoeuvre your pursuit of excellence among all these characters and make sure that you succeed in the midst of all these challenges.

What I have personally found is that if you are positive, and you are helpful to all people, if you can help someone, why not do it? I have also found it helpful to work for the common good and not my own personal good. Once it is known that you are working for all the people, including yourself, you find that you are given more and more things to do on behalf of your community from which you will also benefit. And, this is the surest way to become a leader.

You must also be prepared and learn how to fight battles with people in your life because there will always be disagreement. If you are positive and working for the common good, your point of view will have strength, you will argue calmly with composure for the common good and most of the time, win the day.

Do not keep grudges and sulk, because it is you who will suffer from stress, blood pressure and not the one from whom you are keeping a grudge. If you do not keep grudges, and you work for the common good, even those who once did not agree with you will come back to you and work with you for the common good – that is how you consolidate your leadership and can confirm to you as my personal experience over decades.

Fourth, it is essential to cultivate a culture of integrity. This means doing the right thing, the right way, all the time. Whether people are watching you or nobody is watching you. You will be able to achieve this with the three characteristics in place, and those become your routine.

My friends, I must also warn you that even if you comply with these principles, things will still go wrong. You will make mistakes; there will be mistakes in your work, either caused by you directly or by those who work with you. Please do not allow such mistakes to cause you to lose your long-term vision. Acknowledge these mistakes, own those mistakes and learn from them. Even if the mistake is made by another person in your team, please take personal responsibility and ask yourself ‘What do I need to do next so that it does not happen again?’ This may mean a call for you to support the colleague who was responsible for the mistake so that in your team, it does not happen again. If you are a leader, you are responsible for everything, including the errors of those whom you lead. It is your job to make sure that the people you lead do not make those mistakes.

A few weeks ago, I gave a talk to the Rotary Club of Kampala with the title ‘The World is Watching’. The key message is that while we live our lives in public and private, what we do is being watched and being judged by all manner of people. It is this opinion that determines your destiny.

When you live your life pursuing those four pillars, there is every possibility that you will be judged positively. And good things will happen to you without you asking for them. And here are a few personal examples from my life.

Most of the positions I have held were by invitation. I completed my training as a cardiothoracic surgeon in the United Kingdom, and was permanently settled there with my family until the Government of Kenya sent a senior surgeon to my house to ask me to lead the open-heart surgical programme in Nairobi.

From Nairobi, there were still many problems in Kampala – there was a war in Uganda. I could have gone back to the UK as my permanent residency was still valid. However, together with the Association of Surgeons of East Africa, I went with my family to a small mission hospital to test how to provide quality services particularly in surgery to the rural poor. That is what I call working for the common good.

Later, when President Yoweri Museveni took over power, we were ordered to go to Kampala despite our desire to stay in the small mission hospital. My wife took charge of the anesthesia department at Mulago Hospital, and I joined Makerere University as the founding director of the Uganda Heart Institute. I got a number of appointments but the message is, if you work for the common good, you pursue excellence, all these things will be yours as they became mine.

Remember, the world is watching.

Finally, most of you are nurses and midwives. I want to particularly congratulate you all because the year 2020 has been declared by the World Health Assembly as the Year of the Nurse and Midwife. Your graduation this year makes it very special.

I am a member of the global Nursing Now campaign board, and the message from this campaign, is that nurses and midwives need to get to the front, be more visible in service delivery and in leadership as part of the movement to achieve Sustainable Development Goals and Universal Health Coverage.

I am personally convinced that if this happens, with nurses and midwives leading integrated, people-centered primary healthcare here in Uganda, we will actually achieve UHC that leaves no one behind soonest, and with the currently available resources.

I have written a piece on this topic in the current issue of the Africa Health Journal on how nurses can achieve UHC through integrated primary healthcare, working with village health teams in Uganda. This people-centered primary health care is also part of a slogan commonly used when I was Director General of Health Services “Health is made at home and only repaired in health facilities when it breaks down.”

Graduands, I urge you to be uncompromising in your efforts to deliver the highest-quality care. To empower people to stand up for their right to good care. And to spread the message that health is made at home. If we do this, there will be another slogan, which will become a reality in Uganda: “This is Uganda. What do you expect? Only the best.”

Congratulations graduands and your families! I hope and pray that most of you will embrace some of these suggestions and in future, you will become global leaders.

Thank you.

 

speech_243941 <p dir="RTL">أيها الخريجون، أحثكم على عدم التهاون في جهودكم لتقديم رعاية عالية الجودة، والعمل على تمكين الناس من الدفاع عن حقهم في الحصول على رعاية جيدة، فضلاً عن نشر رسالة مفادها أن الصحة أساسها المنزل. إذا فعلنا ذلك، سيكون هناك شعار آخر، وسيصبح حقيقة في أوغندا: "هذه هي أوغندا. ماذا تتوقعون؟ إنها الأفضل<span dir="LTR">."</span></p> Inglês
Uganda 2020 Convocation of the Aga Khan University https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-uganda-graduation-2020_gt20869_r.jpg Kampala, Uganda Monday, 10 Fevereiro 2020 1581157800 Welcome address by President Firoz Rasul at the AKU Uganda 2020 Convocation speech Uganda 2020s 8941 1 Educação,Uganda,Universidade Aga Khan,Saúde https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-uganda-graduation-2020_gt20869_r.jpg Aga Khan University Education,Health

O nosso Convidado Principal, Dr. Francis Omaswa, Diretor Executivo do Centro Africano para a Saúde Global e a Transformação Social,
Sr. Yusuf Keshavjee, Administrador da Universidade Aga Khan, 
Ministros do Governo,
Líderes, professores e funcionários da Universidade,
Membros do Corpo Diplomático,
Pais, ex-alunos, parceiros e apoiantes, 
Ilustres convidados,
E, o mais importante, os licenciados,

Hamjambo e karibuni. Bem-vindos à 17.ª Cerimónia de Entrega de Diplomas da Universidade Aga Khan do Uganda.

Obrigado por se juntarem a nós no dia mais importante e mais festivo do calendário da Universidade. A entrega de diplomas é o culminar de todos os nossos esforços. Hoje, comemoramos o sucesso dos nossos 142 licenciados e aguardamos com expetativa o impacto que estes virão a ter na vida dos seus compatriotas ugandenses.

Caros licenciados, o vosso percurso foi notável.

Vocês enfrentaram inúmeros desafios e ultrapassaram-nos todos - desde a implementação de novas pedagogias na sala de aulas até à conclusão de projetos de investigação ativa nas vossas clínicas e hospitais ou às vossas primeiras contribuições para o armazém de conhecimento da humanidade.

Vocês estabeleceram relações com colegas de turma, colegas e professores de todo o Uganda e não só, tendo aprendido em primeira mão a forma como os estereótipos nos deixam mal preparados para a infinita complexidade dos nossos parceiros humanos.

Vocês descobriram o quanto há para aprender e quantas questões profundas continuam sem resposta ou mesmo por fazer.

Durante o vosso tempo na Universidade Aga Khan, pedimos-vos que cumprissem os mais altos padrões. Não foi fácil, pois não? Mas vocês foram capazes.

Fizeram por merecer os vossos cursos e diplomas. Conseguiram-no graças ao vosso amor pela aprendizagem, à vossa vontade de desenvolverem as vossas capacidades e ao vosso desejo de ajudar a resolver os problemas que as vossas comunidades e o vosso país enfrentam.

Vocês enchem-nos a todos de orgulho. Você e os vossos familiares devem estar orgulhosos daquilo que alcançaram. Vocês têm o conhecimento e as competências necessárias para mudar a vida das pessoas para melhor.

Senhoras e senhores, juntem-se a mim para dar os parabéns à Turma de 2019.

Temos muitas pessoas a agradecer por tornarem o dia de hoje uma realidade. Aos nossos professores e funcionários, que são incansáveis na sua dedicação à nossa missão. Aos nossos ex-alunos, cujo sucesso deram brilho ao nome da Universidade Aga Khan no Uganda, na África Oriental e em todo o mundo.

E, claro, aos nossos doadores. Todos os anos, milhares de amigos, ex-alunos e atuais e antigos professores e funcionários fazem doações à Universidade Aga Khan. A sua generosidade permite-nos providenciar instalações de alta qualidade para a aprendizagem, oferecer bolsas de estudos, realizar investigações inovadoras e muito mais - mesmo em tempos complicados a nível económico.

Também temos de agradecer aos nosso muitos apoiantes institucionais. Gostaria de expressar a nossa gratidão à Fundação Johnson & Johnson; à Global Affairs Canadá; à Agência Francesa de Desenvolvimento, AFD; à BMZ do governo alemão e ao Banco Alemão de Desenvolvimento, KfW; à Fundação Bill & Melinda Gates; à Fundação Conrad N. Hilton; à ELMA Philanthropies; e às muitas outras organizações que apoiam o nosso trabalho.

No entanto, a nossa maior dívida de gratidão é para com o nosso fundador e chanceler, Sua Alteza o Aga Khan, cujo apoio financeiro, visão e inspiração contínuos continuam a impulsionar a nossa Universidade a grandes alturas.

Por exemplo, no ano passado, a Universidade Aga Khan foi considerada uma das 100 melhores universidades do mundo em medicina clínica pelo Ranking de Universidades Mundiais de Xangai.

É uma honra incrível. Especialmente porque não existe mais nenhuma outra universidade na África Oriental ou na Ásia entre as 100 melhores.

O nosso ranking reflete o valor da investigação que é realizada pelo nosso corpo docente. Mas foi o nosso Chanceler que lançou as suas bases, ao comprometer a AKU a procurar atingir padrões e excelência de classe mundial.

Senhoras e senhores, este é um momento extraordinário na história do mundo. É emocionante, desorientador e, por vezes, perturbador.

Mas quando a complexidade dos acontecimentos dá origem à incompreensão e à apreensão, a velocidade da mudança semeia confusão e os mais tendenciosos difundem desinformação - e é nessa atura que as universidades mostram o quão indispensáveis são. A combinação de uma transparência imparcial e de uma inovação arrojada que é oferecida pelas melhores universidades nunca foi tão valiosa.

Está na hora da Universidade Aga Khan brilhar. E estamos a mostrar-nos à altura dos desafios e das oportunidades desta era.

Um dos desenvolvimentos mais importantes do nosso tempo é o surgimento de novos campos, como a inteligência artificial, ciência de dados, genómica, ciência de células estaminais e medicina regenerativa. Estes têm um enorme potencial para prolongar e melhorar as nossas vidas e reforçar a nossa compreensão do mundo em que habitamos. É com orgulho que comunico que a AKU está a trabalhar para cumprir a promessa destas novas áreas.

Com o apoio da Universidade da Califórnia, em São Francisco, o nosso Centro de Medicina Regenerativa e Investigação com Células Estaminais começou a contribuir para a pesquisa global de novos tratamentos para doenças crónicas, como doenças cardíacas e oncológicas, doenças neurológicas e diabetes. Os nossos investigadores também estão a utilizar ciência de dados e a inteligência artificial para desenvolver novas visões sobre a desnutrição, os efeitos das cirurgias cardíacas nas crianças e o aumento da incidência de doenças cardíacas nas mulheres - para além de reunir e analisar as versões originais de textos árabes históricos.

Mas avanços como estes também criam um enorme desafio. Nomeadamente o desafio de garantir que estes beneficiam o mundo inteiro e não apenas os mais afortunados.

Nas palavras do nosso Chanceler: "As populações da Ásia e de África não podem ficar isoladas dos melhores apenas porque nasceram em países fora do mundo ocidental."

Deste modo, a Universidade Aga Khan está a ajudar a aumentar as capacidades de África e da Ásia de oferecer cuidados de saúde e educação de alta qualidade.

As nossas iniciativas mais recentes incluem um Centro para Cuidados Cirúrgicos Globais com o objetivo de tornar as cirurgias capazes de salvar vidas mais acessíveis às populações com baixos rendimentos; Um Centro de Investigação Oncológica para desenvolver tratamentos especificamente para a população da África Oriental; e um Centro de Excelência para Traumatismos e Resposta e Prontidão em Situações de Emergência para fortalecer a capacidade das instituições públicas e privadas em dar resposta a desastres e emergências.

O nosso Instituto de Desenvolvimento Educacional já preparou mais de 2.000 educadores no Uganda com novas estratégias para melhorar o ensino e a aprendizagem, beneficiando centenas de milhares de estudantes. O Instituto também está a trabalhar para garantir que os estudantes do Uganda adquirem competências com procura, em colaboração com instituições de formação de professores no Uganda e a organização belga de empresas técnicas.

O programa da Universidade Aga Khan para incentivar a excelência no ensino no seio da Universidade foi recentemente certificado pela Advance HE no Reino Unido. Somos a primeira universidade de África a obter esta certificação.

E o mais importante de tudo, para o Uganda, é o facto de estarmos a trabalhar para construir um novo Hospital da Universidade Aga Khan em Kampala.

O Hospital é o maior projeto de capital da AKU na África Oriental. Será uma força transformadora ao nível dos cuidados de saúde no Uganda. Irá oferecer cuidados de qualidade internacional em áreas que vão da obstetrícia à oncologia. O seu Programa de Assistência Social ao Paciente permitirá o acesso a pessoas com baixos rendimentos. Como hospital universitário, irá formar profissionais de saúde de excelência. E irá apoiar investigações que ajudem a resolver os problemas do sector da saúde do Uganda.

Também iremos construir um edifício académico e alojamento para estudantes, graças ao apoio generoso do BMZ, do Ministério Alemão da Cooperação e Desenvolvimento Económico e do KfW, o banco alemão de desenvolvimento, para além de vários doadores privados de todo o mundo. Isto irá permitir-nos formar não apenas médicos, enfermeiros e parteiras, mas também jornalistas, comunicadores e professores.

Estamos gratos pelo forte apoio que o Hospital recebeu por parte de Sua Excelência o Presidente Yoweri Museveni, o Muito Honorável Primeiro-Ministro Dr. Ruhakana Rugunda, e de outros Ministros do Governo - os quais consideram este projeto uma prioridade estratégica nacional.

Falei da evolução do conhecimento que cria problemas, para além dos benefícios extraordinários. De modo semelhante, o progresso da integração a nível global enriquece as nossas vidas de inúmeras maneiras, para além de expor as sociedades a forças desestabilizadoras.

Vivemos numa época em que todos os nossos destinos estão entrelaçados - em que os efeitos de um acontecimento do outro lado do globo têm o poder de remodelar as nossas vidas. Pensem no impacto do novo coronavírus.

Na era global, é imperativo que as instituições colaborem através de quaisquer tipos de fronteiras no sentido de partilhar e reforçar o conhecimento e aumentar a compreensão intercultural.

É exatamente isso que a Universidade Aga Khan está a fazer. Hoje, o número, a profundidade e a diversidade das nossas parcerias são maiores do que nunca. Somente no ano passado, assinámos ou renovámos acordos de parceria com a Universidade de Alberta e a Universidade de Calgary, no Canadá, com a Universidade NOVA de Lisboa, em Portugal, e com a Universidade de Washington e o Centro Fred Hutchinson de Investigação Oncológica, nos Estados Unidos.

Fred Hutch é bem conhecido pela sua parceria com o Instituto Oncológico do Uganda, e iremos trabalhar em estreita colaboração com eles com o objetivo de melhorar o tratamento oncológico no Uganda e em toda a África Oriental.

A nossa Escola Superior de Média e Comunicação tem uma parceria com a Kennedy School of Government da Universidade de Harvard para oferecer um curso combinado de liderança adaptativa. O Instituto para o Estudo das Civilizações Muçulmanas da AKU em Londres oferece agora uma licenciatura dupla em colaboração com a Universidade de Columbia, em Nova Iorque. Ambos os programas estão abertos aos africanos orientais e encorajamo-los a inscreverem-se.

Estas são algumas das muitas formas através das quais a Universidade Aga Khan está a evoluir para corresponder às exigências de um mundo em mudança e cumprir a sua missão de melhorar a qualidade de vida em África e na Ásia.

Em última instância, a nossa contribuição mais importante para as sociedades que servimos são os nossos alunos.

Até à data, a Universidade Aga Khan já formou mais de mil ugandenses. De Arua a Mbarara e Kampala, todos estão a liderar esta mudança - como educadores, médicos, empresários, advogados, funcionários públicos e decisores políticos.

É um grupo incrível de homens e mulheres. Tão incrível, na verdade, que sentimos que eles mereciam uma mascote. E vocês, caros licenciados, julgo que sabem que existe uma, o leopardo da AKU.

Os estudantes escolheram o leopardo como o nosso símbolo porque sentimos que ele representa três características comuns a todos os nossos alunos e ex-alunos - na verdade a toda a comunidade da AKU. Estas características irão ser-vos úteis ao longo dos próximos anos.

A primeira característica é a coragem. A coragem de abraçar a novidade e tentar aquilo que nunca se fez antes. A coragem de enfrentar práticas antiéticas perante a pressão de concordar com a maioria.

A segunda característica é a perseverança. Haverá momentos em que irão falhar, inevitavelmente, apesar dos vossos esforços. Não há vergonha nenhuma nisso: nunca arriscar falhar representa uma falha na coragem.

O que importa é aquilo que fazemos a seguir. Lembrem-se de que aqueles que sobrevivem ao desapontamento com a sua determinação intacta e aprendem as lições difíceis que ele tem para lhes ensinar são pessoas com uma força que deve ser tida em conta.

A terceira característica é a agilidade. Hoje, a mudança acontece num piscar de olhos. A tecnologia está a reconfigurar tudo, desde o trabalho às relações e à capacidade de concentração. O centro de gravidade do mundo está a mudar de oeste para leste e de norte para sul. No Uganda, como em muitos outros países, os jovens são a maioria da população - e não preciso de vos dizer, eles estão desejosos de seguir em frente e são ambiciosos.

Para manter o vosso equilíbrio neste mundo, precisam da agilidade de um leopardo.

Mantenham-se ágeis, continuem a ser corajosos e continuem a perseverar - e com certeza que irão alcançar tudo aquilo de que são capazes.

Dentro de alguns instantes, irão tornar-se oficialmente ex-alunos da Universidade Aga Khan. Vocês e vossos colegas partilham experiências de formação e valores fundamentais. Relacionem-se entre vocês. Colaborem uns com os outros. Juntos, são uma poderosa força de mudança.

Lembrem-se: vocês são todos leopardos.

Caros licenciados, o mundo precisa de vocês. O mundo precisa do conhecimento que vocês adquiriram, e da confiança que desenvolveram e das descobertas que fizeram acerca de vocês mesmos, dos vossos semelhantes e do nosso mundo.

Obrigado e asanteni sana.

speech_243936 <p dir="rtl">"بلغ حالياً عدد خريجي جامعة الآغا خان في أوغندا حوالي 1000، وهم يقومون بدءاً من أروا إلى مبارارا إلى كمبالا، بقيادة عملية التغيير، وهم معلمون وأطباء ورواد أعمال ومحامون، إضافةً إلى الموظفين العموميين وواضعي السياسات".</p> Inglês
17th Convocation of the Aga Khan University, Uganda https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-uganda-graduation-2020_gt21391_r.jpg Kampala, Uganda Monday, 10 Fevereiro 2020 1581154200 Discurso do Orador em Representação dos Alunos Ndawula Paddy na 17ª Cerimónia de Entrega de Diplomas em Enfermaria da Universidade Aga Khan no Kampala, Uganda speech Uganda 2020s 243906 1 Uganda https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-uganda-graduation-2020_gt21391_r.jpg Aga Khan University Education,Health

Ao Convidado Principal: Honorável Professor Francis Gervase Omaswa,
Membros do Conselho de Administração,
Presidente Firoz Rasul, 
Ilustres Convidados,
Membros do Corpo Docente, Funcionários e Ex-alunos, 
Aos nossos patrocinadores e patronos,
Aos nossos queridos familiares, amigos e tutores, 
E aos meus colegas de licenciatura.

Sinto-me extremamente privilegiado e profundamente honrado e humilde por estar aqui perante uma plateia tão ilustre neste contexto incrível e num lugar como este. Estou eternamente agradecido pela oportunidade.

Comecemos por prestar homenagem com um momento de silêncio aos falecidos Aisha Namutebi, Alex Kinyera e Kyakuwaire Sharon, nossos colegas de turma, e à ex-aluna Sra. Petua Olobo Kiboko, Comissária de Enfermagem.

Quero começar por expressar a minha gratidão em primeiro lugar a Deus por ser bom, porque sem Ele este sucesso monumental não seria possível. Em segundo lugar, e com muito sentimento, quero agradecer a Sua Alteza o Aga Khan, pela sua liderança imaginativa e visionária através da qual esta Universidade é hoje uma realidade e pelo seu apoio generoso do qual todos nós beneficiámos imensamente.

Em seguida, quero agradecer à direção e administração da Universidade Aga Khan, que projetaram um sistema e uma estrutura que tornaram a nossa estadia na AKU uma experiência verdadeiramente mágica. Observámos as mudanças nas vidas dos nossos colegas, os ex-alunos que nos antecederam, e eles inspiraram-nos a ingressar nesta magnífica universidade, e hoje posso testemunhar com autoridade que somos verdadeiros profissionais capazes de continuar esse legado. Alargamos os nossos cordiais agradecimentos e reconhecimento aos nossos patrocinadores, a Johnson & Johnson. Oh, meu Deus! O trabalho incrível que vocês fazem está efetivamente a transformar sonhos em realidade nas nossas vidas. Os patronos que patrocinam os seus colaboradores como o Instituto Oncológico do Uganda, o Hospital Nacional de Referência de Mulago e outras instituições de renome para criar uma forte parceria com a Universidade.

O prestigiado corpo docente, que nos transmitiu conhecimentos, competências, atitudes e experiências constantemente. Por este ato nobre, eles são o orgulho da nossa nação, a glória da nossa república e os pilares académicos da Universidade Aga Khan. Porquê? Porque eles continuam a abastecer o nosso sector da saúde com profissionais bem formados e com novas ideias. Pelos amigos para a vida que temos, agradeço a Deus pela bênção de conhecer-vos e estimar-vos, mas principalmente pela dádiva de experienciarmos juntos os nossos problemas e alegrias. Seria uma omissão grave se não agradecesse ao pessoal não-docente que tornou tão seguro o ambiente da Universidade Aga Khan, o que nos permitiu ir em busca dos nossos sonhos e, por último, mas o mais importante, os nossos queridos pais, cônjuges, filhos, tutores, irmãos e irmãs por serem uma constante fonte de apoio, incentivo e inspiração.

A cerimónia de entrega de diplomas é o sonho de qualquer aluno. Estar aqui hoje é um objetivo pelo qual todos almejávamos, e é com orgulho que dou os parabéns e agradeço aos meus colegas de licenciatura por tornarem este sonho realidade. Mike Tyson disse: "Para ser o maior que já viveu, é preciso vencer todos os que estão vivos". Mas todos sabemos que a grandeza não nos é oferecida, temos de conquistá-la. Portanto, meus irmãos e irmãs, peço-vos que se juntem à missão mais gratificante que uma pessoa pode ter, a contribuição mais profunda que um pessoa pode dar para honrar a sua profissão, trabalhando para melhorar a saúde das pessoas, para que possamos erguer a nossa nação, porque não há nada que não esteja ao alcance de uma nação com uma população saudável.

Com uma história preciosa e partilhada, a enfermagem e a obstetrícia existem há cerca de 100 anos no Uganda e, no entanto, menos de 10% dos enfermeiros e parteiras possuem um bacharelato, e isso deve-se em grande parte ao mal-estar estrutural e sistémico do sistema de administração e educação de enfermeiros e parteiras no Uganda. Tal fez com que alguns enfermeiros e parteiras tivessem um baixo nível de vida, tendo abandonado a profissão e falhado em cumprir as suas metas de realização profissional e humana.

Vimos alguns enfermeiros a obter o seu mestrado apenas alguns anos antes da reforma. Somos um corpo de cerca de 65 000 enfermeiros e parteiras, mas surpreendentemente cerca de 45 000 estão empregados e quase 20 000 estão desempregados, o que representa uma taxa de desemprego de 30% para enfermeiros e parteiras. É nossa missão projetar e criar o futuro da enfermagem, e a nossa criação será herdada pela próxima geração. Nesta era, temos de criar políticas, sistemas e estruturas educacionais que sejam simbióticas e genéricas para a nossa profissão. Porquê? Porque depende de nós preparar a próxima geração e o futuro da enfermagem e da saúde em geral, com vista a melhorar a saúde do nosso povo. Senhoras e Senhores, este mandato é a nossa vocação.

A enfermagem e a educação tiveram por base um rico depósito de orgulho profissional e um tremendo desejo de cuidar e servir sem discriminação de qualquer tipo. Estas virtudes devem ser propagadas e regadas, e não podem ser suprimidas. Queremos redescobrir as verdades antigas, desvendar velhos mistérios e fazer descobertas emocionantes, através da mudança da nossa perspetiva, porque a existência humana é paradoxalmente muito frágil e ao mesmo tempo muito poderosa. Ligarmo-nos a esse poder é o que nos permite transformar as dificuldades em triunfos, materializar certas visões e tornar sonhos em realidade através da inserção de uma nova vida numa esperança que estava a agonizar, aquela esperança que vê o invisível, que sente o intangível, que acredita no impossível e concretiza o inimaginável.

Para que a enfermagem e a educação no Uganda deixem um legado imponente para todas as gerações, precisamos de tornar o sucesso, a prosperidade e a excelência dos enfermeiros, parteiras e educadores não apenas numa possibilidade mas numa absoluta inevitabilidade.

Obrigado a todos. Que Deus vos abençoe a todos.

speech_243916 <p dir="rtl">"أوجه الشكر أيضاً لقيادة وإدارة جامعة الآغا خان التي صممت نظاماً وهيكلاً جعل من إقامتنا في جامعة الآغا خان تجربةً سحريةً للغاية. لقد رأينا كيف تغيّرت حياة زملائنا الخريجين الذين تخرجوا قبلنا، وكانوا مصدر إلهام لنا لننضم إلى هذه الجامعة الرائعة، وإنني أشهد رسمياً بأننا أصبحنا الآن محترفين حقيقيين وجديرون بارتداء هذه العباءة".</p> Inglês
15th Convocation of the Aga Khan University, Tanzania https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-tanzania-2020-former_tanzania_president_h.e_benjamin_mkapa1_r.jpg Dar es Salaam, Tanzania Thursday, 6 Fevereiro 2020 1580921100 Discurso do Convidado Principal Sua Excelência Benjamin William Mkapa na 15ª Cerimónia de Entrega de Diplomas da Universidade Aga Khan em Dar es Salaam, Tanzânia speech Tanzania 2020s 243806 1 Tanzânia,Educação,Saúde https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-tanzania-2020-former_tanzania_president_h.e_benjamin_mkapa1_r.jpg Aga Khan University Education,Health

Presidente Firoz Rasul,

Membros do Conselho de Administração da Universidade Aga Khan, 
Membros do Governo e do Corpo Diplomático, 
Ilustres convidados,

E, mais importante, os nossos alunos licenciados:

É maravilhoso estar aqui hoje para celebrar a graduação da Turma de 2019.

É comum em ocasiões como esta os oradores dizerem que estão honrados por terem sido convidados. No meu caso, não é um mero lugar-comum.

Durante cinco anos, fiz parte do Conselho de Administração da Universidade Aga Khan. Testemunhei a paixão de Sua Alteza o Aga Khan e dos meus colegas membros do Conselho pela melhoria da qualidade de vida em África e na Ásia. Quando dizem que os quatro pilares da AKU são a qualidade, o impacto, o acesso e a relevância, estão mesmo a falar a sério. Quando dizem que estão comprometidos em formar líderes que façam a diferença na vida de outras pessoas, estão mesmo a falar a sério. Para além disso, a expansão do Hospital Aga Khan demonstra como Sua Alteza o Aga Khan está comprometida em investir na Tanzânia e no seu povo.

Por isso, quando digo que é uma honra estar aqui, estou mesmo a falar a sério.

Caros licenciados, é com grande prazer que vos dou os parabéns pela conclusão dos vossos cursos. Eu sei que o vosso caminho não foi fácil. Mas se a montanha não fosse íngreme e a subida não testasse a vossa determinação, a vista não seria uma revelação ou uma inspiração tão grande. Agora estão no auge e as oportunidades estendem-se perante vocês.

Como disse o Presidente Rasul, a entrega dos diplomas é um dia em que comemoramos o vosso sucesso e aspiramos ao impacto que vocês virão a ter sobre os vossos alunos, pacientes, sobre a vossa profissão e país.

Não tenho dúvidas de que terão um impacto positivo em milhares de vidas ao longo das vossas carreiras. Confio no vosso talento, na vossa determinação e na qualidade da formação que vocês receberam.

Contudo, não resisto à tentação de partilhar convosco um pouco da minha sabedoria. Existem qualidades que podem demonstrar, ações que podem concretizar e atitudes que podem adotar as quais acredito fortemente que irão maximizar o vosso sucesso enquanto líderes nos próximos anos. Por isso, permitam que partilhe algumas recomendações baseadas na minha longa experiência.

Entre as lições mais importantes que aprendi com o Pai da nossa Nação está a importância de pedir aconselhamento com regularidade e escutar com atenção antes de tomar decisões.

Sempre que ele enfrentava um grande problema, ele buscava uma vasta gama de perspetivas. Ele sabia que não tinha o monopólio da sabedoria ou da virtude. Por mais humilde que as pessoas fossem, independentemente das suas falhas ou motivos, ele escutava-as sempre atentamente, buscando a essência da verdade ou a visão que estas tinham para partilhar.

Eu tentei sempre seguir o seu exemplo a este respeito, e as minhas tomadas de decisão foram, sem dúvida, mais capazes devido a isso. Temos de deixar para trás o estilo monárquico de liderança. Esse tempo já lá vai. O nosso país é diversificado e pluralista, e o nosso mundo é-o ainda mais. É apropriado liderarmos de uma forma consultiva.

Ao mesmo tempo, depois de escutarmos atentamente os pontos de vista dos especialistas e das pessoas comuns, dos poderosos e especialmente daqueles que não têm poder - é necessário ser determinado e perentório. É preciso articular um plano de ação e comunicar a sua lógica de forma clara, tanto àqueles que o irão pôr em prática como aos que serão afetados por ele.

A seguir vem a parte mais difícil: dar continuidade e obter resultados. É essencial ser perseverante, responsabilizarmo-nos e aos outros para alcançar o resultado desejado. Muitas vezes na minha carreira, tenho observado visões a serem propostas mas sem que se faça muito para que sejam postas em prática. Um líder não deve ter medo de fazer o trabalho pesado ao lado dos seus colegas, ou fazer aquilo que ele pediu ou defendeu que outros fizessem.

No início da minha carreira, era um acérrimo defensor do serviço militar. Fui criticado por alguns, que me diziam que eu estava a pedir aos outros que fizessem aquilo que eu não tinha feito. Assim, avancei e fui como voluntário para o serviço militar, deixando o meu emprego durante vários meses para trabalhar ao lado dos meus compatriotas tanzanianos. Foi uma experiência à qual sempre dei muito valor. Ver agricultores analfabetos e licenciados universitários a trabalharem em conjunto foi uma inspiradora chamada da atenção para a necessidade de união na nossa nação. O meu serviço sossegou os céticos. Mostrou que eu estava preparado para agir de acordo com as minhas convicções.

No entanto, não devemos permitir que a convicção se transforme em teimosia. O mundo está em constante mudança e, quando os fatos se alteram, devemos reconsiderar os nossos pontos de vista. Foi o próprio Mwalimu que defendeu de forma mais veemente a transição de um estado monopartidário para um sistema de multipartidarismo. Ele havia acompanhado de perto a agitação causada por mudanças que estavam a ocorrer em outros países e sentiu os primeiros tremores de insatisfação no nosso próprio país.

Ele disse: "Temos de ser nós a mudar ou seremos mudados por outros... Seremos arrastados pelas ondas." Com a sua determinação, continuou a estar disposto a aprender, a crescer e a mudar com os tempos.

Se há uma coisa que acredito que tenha definido a minha carreira tanto dentro como fora do governo é a preocupação pela pessoa comum. Nada me incomoda mais do que ver aqueles que pouco têm a serem vítimas dos que têm muito. Nas cerimónias fúnebres de Mwalimu, eu disse: “O nosso mundo é composto por aqueles que dão e por aqueles que tiram. Os que tiram podem comer melhor, mas aqueles que dão dormem melhor." Dar é manter presente que temos uma dívida para com aqueles que servimos, por muito alto que tenhamos subido na vida.

Vocês são professores e médicos. Vocês têm uma enorme responsabilidade. O futuro do nosso país depende da qualidade da educação que vocês irão passar aos nossos jovens. Depende da vossa capacidade de evitar o sofrimento desnecessário e de devolver aos doentes a saúde, a felicidade e a produtividade. Precisamos que vocês reforcem os benefícios da ciência, do conhecimento e da tecnologia junto daqueles que continuam a ser marginalizados. Sejam aqueles que dão, e não aqueles que tiram.

Ao recordar a minha carreira, vejo muitos pontos de viragem. Hoje, vou destacar apenas um: o momento em que Mwalimu me convidou para sua casa no início da minha carreira. Lembro-me de estar deslumbrado na sua presença, de imaginar que assunto poderia ele ter para falar comigo. Para minha grande surpresa, ele pediu-me para ser editor do jornal do partido. Eu não sabia quase nada sobre a gestão de um jornal. Mas percebi que era um desafio que não podia recusar. Disse que sim. Esta decisão moldou o resto da minha vida, de várias formas.

Caros licenciados, não fujam dos desafios. É a nossa resposta às questões mais complicadas que nos definem. É a prontidão para enfrentá-las que faz de alguém um líder.

Gostaria de terminar com a citação que encerra o meu livro de memórias, com o título A Minha Vida, O Meu Propósito. É da autoria do rabino Harold Kushner. Ele diz:

As nossas almas não têm fome de fama, conforto, riqueza ou poder. Estas recompensas criam quase tantos problemas como aqueles que resolvem. As nossas almas têm fome de significado, da sensação de descobrirmos como viver as nossas vidas para que sejam importantes, para que o mundo seja pelo menos um pouco diferente depois de termos passado por ele.

Caros licenciados, desejo-vos tudo de bom nas vossas vidas e nas vossas carreiras. Que vivam para que as vossas vidas sejam relevantes, e que o mundo se torne um lugar melhor por terem passado por ele.

Obrigado.

speech_243801 <p dir="RTL">عملت لمدة خمس سنوات في مجلس أمناء جامعة الآغا خان، ورأيت شغف سمو الآغا خان وزملائي أعضاء مجلس الإدارة في تحسين نوعية الحياة في إفريقيا وآسيا. عندما يقولون إن الركائز الأربع لجامعة الآغا خان هي النوعية والتأثير والوصول والأهمية، فهذه حقيقة. وعندما يقولون إنهم ملتزمون بتعليم قادة للمستقبل لإحداث فرقٍ في حياة الآخرين، فإنهم يعنون ذلك. علاوةً على ذلك، توضح عمليات التوسُّع التي تجري في مستشفى الآغا خان مدى التزام سمو الآغا خان بالاستثمار في تنزانيا وسكانها.</p> Inglês
15th Convocation of the Aga Khan University, Tanzania https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-tanzania-2020-valedictorian_r.jpg Dar es Salaam, Tanzania Thursday, 6 Fevereiro 2020 1580920200 Valedictorian Address by Dr. Masawa Klint at the 15th Convocation of the Aga Khan University, Tanzania speech Tanzania 2020s 243811 1 Saúde,Tanzânia https://d1zah1nkiby91r.cloudfront.net/s3fs-public/media/institutions/aga_khan_university/aku-tanzania-2020-valedictorian_r.jpg Aga Khan University Education,Health

The Guest of Honour, Former president of the United Republic of Tanzania, His Excellency William Mkapa,
Trustee Othman,
the President of the Aga Khan University, Firoz Rasul,
Provost, Vice-Provost, Deans, Associated Deans,
Esteemed faculty,
Alumni of the Aga Khan University,
Invited guests
and most importantly my fellow AKU graduands all protocols observed.

Good afternoon!

I would like to express my immense gratitude to God Almighty for guiding and leading us here, the faculty and all those who have mentored us and facilitated our growths, Our Chancellor His Highness the Aga Khan, for his leadership, efforts and commitment towards poverty reduction, through the Aga Khan Development Network and its functions particularly in the low and middle income countries.

We are only here because of the resolute support and encouragement from our families, brothers, sisters, spouses and children, thank you.

I know it has been a difficult journey, and there were times when you and I wanted to give up, when we thought it was impossible, when the demands on our shoulders were more than we could carry, there were times when we had self-doubt, when we contemplated quitting- but we did not; we rose to the challenge, we re-invented ourselves, we became more resourceful, more thoughtful, more matured in our ways, we allowed ourselves to experience growth- and we grew, and today we are here, a testimony to ourselves and those around us of how far we have come and where we are going- and for that, my dear colleagues I salute us.

The Aga Khan University has equipped us with lifelong learning skills, has instilled in us critical thinking and analysis, self-reflection and we have become independent thinkers with the ability to appraise a challenge and to formulate solutions. This is true of the academics. We were exposed to learning skills that are so commonly taken for granted and that are critical for human interaction, the underpinning factor of professional and personal growth. The university purposefully instilled in us communication skills, leadership, ethics and morality so that we carry out our responsibilities with sanctity.

With our unique set of experiences, and achievements such as these; we are confronted with a local society that has existed in poverty with its associated limitations on the ability to progress and advance. Recently the rate of growth of some of these indicators like the GDP have been promising. However, despite this growth we continue to face enormous challenges and especially as it appertains to health and education. It is becoming increasingly evident that these challenges, coupled with competent leadership, provide fertile ground laden with opportunities to advance the development of our society.

We are part of this society with its opportunities, as we are witnesses of the limitation that poverty enforces on our people. Foremost, we must acknowledge that the challenges our people face are our own. This acknowledgment is not a display of naivetés; but a core human experience of
compassion. This perception is genuine, should be protected and nurtured; we cannot be indifferent to the suffering of others. This affirmation should be taken further, for only through this resistance to indifference and a resilient compassion, can we truly identify the challenges, their associated opportunities and begin to synthesise plausible and practicable solutions.

“Sometimes, it falls upon a generation to be great. You can be that great generation. Let your greatness blossom” Nelson Mandela.

The outcomes of our intellectual achievement must extend beyond the self, beyond that one student we mentor, beyond that one patient we care for, beyond the teachers and educationalists that we lead and we must realise we have the potential to develop solutions for our unique societies.

Taking this responsibility requires the ethical and moral perspective that our faculty have worked very hard to inculcate amongst us, the compassion, the tenacity and the capabilities that all the graduands before you have displayed thus far to reaching this milestone. I want us all to understand as we go out there, we are bringing with us a fresh perspective, new ideas, and possible solutions. It is thus our obligation to take up leadership; to uphold moral ethics, to safeguard compassion and to aspire to be agents of positive change. I believe taking up these opportunities and challenges will lead to not just bountiful career satisfaction, exponential growths as professionals, but ultimately lead to fulfillment as individuals with wide scale positive impacts in our nations, our region and the world

Thus, my colleagues; ethical and compassionate leadership- I wish these on all of you in your future endeavors; It has been a privilege for us to grow together as friends, colleagues, brothers and sisters to this end.

Congratulations my fellow graduands. Thank you

 

speech_243796 <p dir="RTL">في البداية، أحمد الله تعالى على رعايتنا وتوفيقنا إلى ما وصلنا إليه. كما أود أن أوجه الشكر إلى أعضاء هيئة التدريس وكل من قام بتوجيهنا وتسهيل عملية نموّنا، وإلى مستشارنا سمو الآغا خان، على قيادته وجهوده والتزامه بالحد من الفقر من خلال شبكة الآغا خان للتنمية وما تقوم به من أعمال، ولا سيّما في البلدان ذات الدخل المنخفض والمتوسط<span dir="LTR">.</span></p> Inglês
CSV