Está aqui

Está aqui

  • A central elétrica de Azito, Costa do Marfim.
    AKDN
Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico
Projeto Azito Energie

O projeto Azito foi o primeiro investimento do AKFED no sector de energia. A este seguiram-se outros projetos de energia na África Oriental e Ocidental, assim como na Ásia Central. A central elétrica de Azito é a maior central de capital privado na África Subsaariana, desenvolvida e operada pela empresa suíça/sueca ABB, a francesa Electricité de France e a instituição de capital de risco do AKFED na África Ocidental, os Serviços de Promoção Industrial. Azito é a maior central elétrica a gás na África Ocidental. O projeto de 288 MegaWatts, desenvolvido na base de build-own-operate-transfer (BOOT) [construção-propriedade-exploração-transferência], iniciou a produção de eletricidade em Março de 1999 e utiliza o fornecimento de gás natural vindo da Costa do Marfim.

O financiamento para este projeto privado de infraestruturas no valor de 225 milhões de dólares foi atribuído pelos acionistas e através de empréstimos de agências internacionais e bilaterais de desenvolvimento, incluindo a Corporação Financeira Internacional (IFC), a Commonwealth Development Corporation (CDC), o Banco Africano de Desenvolvimento (ADB), a Companhia Financeira de Desenvolvimento (FMO) da Holanda, e a empresa alemã de investimento e desenvolvimento (DEG) e bancos comerciais. O financiamento beneficiou de uma Garantia Parcial de Risco, concedida pela Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA), a instituição de crédito bonificado do Banco Mundial, a primeira garantia do género. A Azito gere mais de 30% da eletricidade da Costa do Marfim e a sua produção é exportada em parte para os países vizinhos. O projeto Azito é um bom exemplo da relevância do apoio do sector privado no desenvolvimento económico, respondendo à procura crescente no mundo em desenvolvimento por serviços de infraestruturas fiáveis e de qualidade.

Projeto Azito Fase 3

A central existente em Azito já funciona há quinze anos e tem um excelente histórico, satisfazendo com sucesso todos os requisitos dos seus financiadores e do Estado, de acordo com o Contrato de Concessão. O Contrato de Concessão original incluía a possibilidade de expandir a central existente de uma central de ciclo simples para uma central de ciclo combinado. Em 2011, perante o aumento da demanda por energia na Costa do Marfim, os acionistas decidiram investir nessa importante expansão. A nova central expandida disponibilizará aproximadamente 426 Megawatts de energia, quase 50% mais do que a central existente, sem utilizar mais gás do que a central existente.

Isto é conseguido através da adição de uma turbina a vapor de condensação, que é alimentada pelo calor da exaustão das turbinas existentes. Isso torna a Fase III deste projeto especialmente importante na Costa do Marfim, dado que melhora significativamente a eficiência do uso dos recursos de gás do país para produzir uma muito necessária energia adicional.

O financiamento deste projeto de expansão no valor de 428 milhões de dólares foi atribuído pelos acionistas e através de empréstimos de agências internacionais e bilaterais de desenvolvimento, incluindo a Corporação Financeira Internacional (IFC), instituições financeiras europeias de desenvolvimento (PROPARCO, BIO, DEG, etc.) e bancos africanos (AfDB e BOAD). O desenvolvimento de uma central de ciclo combinado em Azito servirá como um modelo para o desenvolvimento e financiamento de projetos similares de energia noutras zonas da Costa do Marfim e noutros países em desenvolvimento. A conversão ficou concluída em 2015.