Está aqui

Está aqui

  • Catherine, empresária e cliente da Première Agence de MicroFinance em Port Bergé, Madagáscar.
    AKDN
Première Agence de MicroFinance (Madagáscar)
A história de Catherine

Catherine, de 55 anos, é uma avó que sustenta seis pessoas, incluindo quatro crianças em idade escolar. Mudou-se da sua cidade natal de Port Bergé para uma cidade maior, com a esperança de poder proporcionar às crianças uma educação melhor.

Embora a cidade fosse um lugar mais próspero para a sua empresa do ramo alimentar, os custos da transferência de mercadorias de Port Bergé eram demasiados altos demais para manter. Tendo de sustentar seis pessoas na sua família, Catherine estava desesperada em encontrar uma forma de tornar o seu negócio mais próspero.

Um dia, ao passar por ele, reparou no edifício da Première Agence de MicroFinance-Madagascar. Apesar de nunca ter pedido um empréstimo, fez o requerimento, atraída pelo acesso fácil e pelas baixas taxas de juros. O primeiro empréstimo foi de curto prazo, por cinco meses, no valor de 800 mil ariary malgaxes (202 euros). Satisfeita com os resultados do seu negócio e com o serviço oferecido pela PAMF, Catherine já contraiu 14 empréstimos com a PAMF, sendo o maior de 6,2 milhões de ariary malgaxes (1567 euros).

Catherine usou estes empréstimos para investir no seu negócio, comprando produtos locais e diversificando a sua gama de produtos. Também contratou três funcionários para ajudá-la durante a época alta, para fazer face ao aumento da procura. Ao expandir o seu negócio, as despesas aumentaram de 200 000 para 500 000 ariary malgaxes, ao passo que os rendimentos aumentaram oito vezes para 4 milhões de ariary malgaxes. Catherine já construiu os seus próprios edifícios, cultivou um campo de quatro hectares de terrenos áridos na cidade e comprou cinco zebus castrados para gado. Isto permitiu-lhe não só garantir a educação dos netos como também possuir ativos imobiliários e ter dinheiro economizado para o futuro.

Para além da sua família, o negócio de sucesso de Catherine permitiu-lhe também apoiar os vizinhos sempre que necessário. “O meu relacionamento com a PAMF tem sido muito satisfatório”, diz ela. “Espero que este relacionamento inspire outros clientes da PAMF.”