Está aqui

Está aqui

  • Muhammad Sabir Shah, empresário e cliente do First MicroFinance Bank em Gujranwala, Paquistão.
    AKDN
First MicroFinance Bank, Paquistão
A história de Muhammad Sabir Shah

Muhammad Sabir Shah, de 33 anos, passou por muitas dificuldades na vida. Há dez anos, Sabir perdeu o braço esquerdo e fraturou as duas pernas num acidente que o deixou acamado. Foi uma experiência traumática para ele, que o obrigou a depender durante muitos anos dos seus irmãos e da sua esposa no que ao apoio físico e financeiro diz respeito.

Apesar das suas limitações, Sabir queria encontrar uma forma de gerar rendimentos e de se tornar financeiramente independente. Ouviu falar dos serviços de assistência financeira do First MicroFinance Bank do Paquistão e abordou o banco no sentido de criar uma loja de materiais de construção na cidade industrial de Gujranwala (Punjab). Recebeu o seu primeiro empréstimo do FMFB-Paquistão em 2009, seguido de outros ao longo dos anos para a expansão.  

Com a ajuda do FMFB, Sabir conseguiu mudar a sua vida. Começou o seu negócio inicial na sétima cidade mais populosa do Paquistão a partir de um quarto em sua casa, com um pequeno inventário. No início, ganhava apenas 10 000 rúpias paquistanesas (70 euros) por mês. Hoje, conseguiu desenvolver com sucesso o seu negócio, de uma microempresa para um empreendimento maior, com vendas mensais acima das 250 000 rúpias paquistanesas, aumentando assim o seu rendimento mensal para 40 000 rúpias paquistanesas ou mais. Com este aumento nos rendimentos, Sabir está a tentar garantir aos quatro filhos uma educação adequada para lhes proporcionar o melhor começo de vida, especialmente à sua filha de seis anos. Também propicia oportunidades de trabalho a outras pessoas na sua comunidade.

Sabir tem sido inovador no seu negócio e tem procurado colaborar com fornecedores de mão-de-obra e serviços de construção/restauro da sua zona para lhes comprar matéria-prima. Esta estratégia de marketing tem-no ajudado a tornar-se um ponto de contato na angariação de mão-de-obra para trabalhos de restauro/construção. Também incluiu os serviços de transporte local na prestação de serviços aos seus clientes, o que duplicou o seu rendimento mensal.

O seu próximo passo é alugar uma loja e convertê-la num armazém para materiais suplementares, permitindo-lhe assumir projetos maiores.