Está aqui

Está aqui

  • Serviços pediátricos do Hospital de Bamyan, no Afeganistão, geridos pelos Serviços Aga Khan para a Saúde (AKHS) desde 2004. Em 17 de Fevereiro de 2019, os AKHS expandiram a sua gestão de instalações de saúde nas províncias de Bamyan e Badakhshan no âmbito do Projeto Sehatmandi, cujo objetivo passa por aumentar o aproveitamento e a qualidade dos serviços de saúde, nutrição e planeamento familiar no Afeganistão.
    AKDN / Kiana Hayeri
Os Serviços Aga Khan para a Saúde alargam os cuidados de saúde nas províncias afegãs de Bamyan e Badakhshan

Cabul, Afeganistão, 17 de Fevereiro de 2019- Numa cerimónia de assinatura do acordo no Ministério da Saúde Pública do Afeganistão, os Serviços Aga Khan para a Saúde (AKHS) assumiram a gestão das unidades de cuidados de saúde nas províncias de Bamyan e Badakhshan no âmbito do “projeto Sehatmandi”.

Através do Projeto, os AKHS - com o apoio da Fundação Aga Khan (AKF) - irão passar a gerir mais de 1.015 postos de saúde (em aldeias), 158 centros de saúde básica e primária, 24 centros de saúde abrangentes (cada um com cerca de 10 camas), cinco (5) hospitais distritais (cada um com 30 camas) e dois (2) hospitais provinciais com certificação ISO em Faizabad e Bamyan até Junho de 2021. 

O projeto tem como objetivo aumentar a utilização e a qualidade dos serviços de saúde, nutrição e planeamento familiar em 31 províncias. Esta expansão baseia-se na experiência positiva anterior dos AKHS, que vêm gerindo os hospitais provinciais de Bamyan e Faizabad, em nome do governo do Afeganistão, desde 2004.

"O acordo determina o pessoal, equipamentos, serviços de diagnóstico e medicamentos que deverão ser fornecidos por parte de cada unidade de saúde primária do sistema de saúde afegão", disse o Dr. Massoud Mehrzad, Presidente dos AKHS para o Afeganistão. "Também define os padrões para os hospitais do sistema." 

No cotexto do projeto Sehatmandi, o novo sistema de saúde irá funcionar de acordo com um novo modelo de remuneração adequada ao desempenho. O sucesso da Agência será avaliado pelo número de consultas pré-natais e pós-natais, partos institucionais, planeamento familiar, monitorização do crescimento e aconselhamento nutricional para crianças com menos de 24 meses, consultas médicas para crianças com menos de cinco anos, o número de crianças vacinadas, o número de mulheres em idade reprodutiva vacinadas contra o tétano, o número de casos de tuberculose tratados com sucesso, e a quantidade e qualidade de cesarianas e grandes cirurgias.

“A ideia de que os prestadores de serviços serão compensados pelo seu trabalho se atingirem objetivos pré-estabelecidos é uma grande mudança de paradigma para o Afeganistão”, disse o Dr. Gijs Walraven, Diretor de Saúde Global da AKDN. “E ainda que estas condições pareçam desafiantes, os Serviços Aga Khan de Saúde e a Fundação Aga Khan estão comprometidos em atingir as metas estabelecidas pelo projeto Sehatmandi.”

O projeto Sehatmandi foi lançado em 2018, depois de reconhecer que, apesar dos avanços significativos na melhoria do acesso e da qualidade dos cuidados de saúde no Afeganistão desde 2002, esse progresso tinha acontecido de forma desequilibrada. O Banco Mundial - em parceria com o Ministério da Saúde Pública do Afeganistão (MoPH), a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e a União Europeia - lançou o programa de contratos baseados no desempenho (também conhecido como modelo de remuneração adequada ao desempenho). O projeto Sehatmandi responsabiliza os prestadores de serviços por fornecer melhorias com base em metas estabelecidas.

Acerca dos Serviços Aga Khan para a Saúde

Quando os Serviços Aga Khan para a Saúde (AKHS) - com o apoio dos governos do Afeganistão, Canadá e França, e de Sua Alteza o Aga Khan através da AKDN e da AKF - iniciaram a sua atividade no Afeganistão em 2003, o mandato central da Agência era melhorar a qualidade dos serviços de cuidados de saúde primária e secundária nas províncias de difícil acesso de Bamyan, Badakhshan e Baghlan. Os AKHS também estabeleceram uma parceria com o governo afegão e o seu Ministério da Saúde Pública (MoPH), fornecendo-lhes assistência técnica para apoiar na melhoria da prestação de cuidados de saúde em todo o país.

Os AKHS também formaram parteiras de comunidade para trabalharem nas áreas rurais de Badakhshan, Bamyan e Baghlan, onde era mais necessária a prestação de cuidados de saúde materno-infantil. A Agência criou o primeiro Programa Comunitário de Formação em Obstetrícia com uma duração de 24 meses em 2004 e, desde então, já formou e distribuiu 459 parteiras pelas três províncias. Em 2012, os AKHS iniciaram o Programa de Formação em Enfermagem Comunitária, que formou 194 enfermeiras de saúde comunitária que hoje trabalham nas três províncias.

Para mais informações, por favor, contacte:

Naziah Lasi-TejaniEmail: info@akdn.org

NOTAS

Os Serviços Aga Khan para a Saúde (AKHS) no Afeganistão são um parceiro ativo do Ministério da Saúde Pública (MoPH) na implementação do Pacote Básico de Serviços de Saúde e do Pacote Essencial de Serviços Hospitalares. Através das suas atividades, os AKHS oferecem serviços básicos de saúde e hospitalares a uma população de mais de 1,5 milhões de pessoas em alguns dos distritos mais remotos e inacessíveis do Afeganistão, nas províncias de Badakhshan, Baghlan e Bamyan. Os AKHS também estão a colaborar com o governo do Afeganistão para desenvolver e manter recursos humanos qualificados em todas as áreas da saúde, oferecendo formação contínua a médicos, enfermeiros, profissionais e administradores de saúde, assim como assessoria técnica e apoio no domínio das políticas de saúde, padrões de enfermagem e formação em obstetrícia.

A Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN), fundada por Sua Alteza o Aga Khan, é uma organização de desenvolvimento privada, internacional e não-confessional. Emprega mais de 80-000 pessoas em mais de 30 países. As agências da AKDN abordam questões complexas de desenvolvimento, incluindo a prestação de serviços de saúde e educação de qualidade, revitalização cultural e económica, desenvolvimento económico de microempresas e empreendedorismo, o progresso da sociedade civil e a proteção do meio ambiente. Para mais informações, consulte:www.akdn.org/afghanistan