Está aqui

Está aqui

O Prémio Aga Khan Para A Arquitetura anuncia os membros do Comité de Gestão do décimo-quarto ciclo

Genebra, 12 de Março, 2018 – O Prémio Aga Khan para a Arquitetura anunciou hoje os membros que irão integrar o Comité de Gestão (Steering Committee), para o décimo-quarto ciclo do Prémio (2017 – 2019).

Criado em 1977, o Prémio é atribuído a cada três anos a projetos que estabeleçam novos patamares de excelência na arquitetura, práticas de planeamento, preservação histórica e arquitetura paisagista.

O Comité de Gestão é presidido por Sua Alteza o Aga Khan. Os restantes membros do Comité de Gestão são: Sir David Adjaye, Principal, Adjaye Associates de Londres; Mohammad al-Asad, Director Fundador, Center for the Study of the Built Environment, Amman; Emre Arolat, Fundador, EAA –

Emre Arolat Arquitecture, Nova Iorque-Londres-Istambul; Francesco Bandarin, Conselheiro Especial, UNESCO, Paris; Hanif Kara, Diretor de Design – AKT II, Londres, e Professor na Faculdade de Desenho da Universidade de Harvard, Cambridge; Azim Nanji, Conselheiro Especial, Universidade Aga Khan, Nairobi; Nasser Rabbat, Professor Aga Khan, Massachusetts Institute of Technology, Cambridge;  Brigitte Shim, Partner, Shim-Sutcliffe Architects, Toronto; e Marina Tabassum, Principal, Marina Tabassum Architects, Dhaka. Farrokh Derakshani é o Diretor do Prémio.

O Comité de Gestão é o órgão de administração do Prémio. É responsável pelo estabelecimento dos critérios de elegibilidade para a nomeação de projetos, apresentação da orientação temática do Prémio, e pelo planeamento do seu futuro cíclico e a longo prazo. Para cada ciclo deste Prémio, o Comité de Gestão nomeia um Júri Principal, que seleciona os recipientes do Prémio a partir dos projetos nomeados.

O Prémio procura identificar projetos que representem a mais vasta gama possível de intervenções arquitetónicas com um foco particular sobre os esquemas de construção que utilizem os recursos locais e a tecnologia apropriada de forma inovadora, assim como aqueles que poderão inspirar esforços semelhantes noutras regiões. Os projetos podem ser de qualquer parte do mundo mas devem endereçar, de forma bem- sucedida, as necessidades e as aspirações das sociedades nas quais os Muçulmanos têm uma presença significativa.

O Prémio Aga Khan para a Arquitetura atribui um prémio no valor 1 milhão de dólares americanos. Aos olhos de muitos observadores, o rigor subjacente ao processo de nomeação e seleção deste Prémio tornou-o num dos mais importantes do género. Incluem-se nos projetos que receberam o Prémio Aga Khan para a Arquitetura em 2016 a Mesquita Bait Ur Rouf em Dhaka e o Friendship Centre em Gaibandha, Bangladesh; o Hutong Children’s Library & Art Centre em Pequim, China; o Issam Fares Institute for Public Policy and International Affairs em Beirute, Líbano; o Superkilen em Copenhaga, Dinamarca; e a Tabiat Pedestrian Bridge no Teerão, Irão..

Para mais informações, por favor contactar:

Prémio Aga Khan para a Arquitetura
PO Box 2049
1211 Genebra 2
Suíça

Telefone: +41 (22) 909.72.00
E-mail: akaa@akdn.org
Website: www.akdn.org/architecture

Convidamo-lo a juntar-se à nossa conversa no Facebook Descarregue a aplicação do Prémio para iPhone, iPad e iTouch

Notas

O Prémio Aga Khan para a Arquitetura integra o Fundo Aga Khan para Cultura (Aga Khan Trust for Culture – AKTC), que tem um vasto leque de atividades direcionadas para a conservação e promoção da herança cultural das sociedades Muçulmanas. Enquanto agência cultural da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN), o Fundo promove a herança cultural como um meio para apoiar e estimular o desenvolvimento. Nos seus programas inclui-se o Programa Aga Khan para as Cidades Históricas (HCP), que trabalha na revitalização de cidades históricas do mundo Muçulmano, tanto culturalmente como no âmbito socioeconómico. Ao longo da última década, o programa desenvolveu atividades de reabilitação em zonas históricas do Cairo, Kabul, Herat, Aleppo, Delhi, Zanzibar, Mostar, norte do Paquistão, Timbuktu e Mopti. A Iniciativa Aga Khan para a Música apoia os esforços de músicos tradicionais e das comunidades para fomentar e promover o desenvolvimento e a transmissão das tradições musicais. O Museu Aga Khan, em Toronto, dedica-se à apresentação de uma visão global das contribuições artísticas, musicais, intelectuais e científicas que as civilizações Muçulmanas já contribuíram para a herança mundial. O Fundo também apoia o Programa Aga Khan para a Preservação da Arquitetura Islâmica (AKPIA) da Universidade de Harvard e do Massachusetts Institute of Technology (MIT), assim como a www.ArchNet.org, o maior recurso on-line sobre a arquitetura Islâmica.

O Fundo Aga Khan para a Cultura faz parte da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN), um grupo de agências privadas de desenvolvimento que trabalha na capacitação das comunidades  e indivíduos em circunstâncias desfavorecidas, na melhoria das suas condições de vida e oportunidades, especialmente na Ásia Central e Sul, no Médio Oriente e na África Subsaariana. As agências da AKDN trabalham para o bem comum de todos os cidadãos, independentemente do seu género, origem ou religião. O seu impulso basilar é a ética e a compaixão pelos mais vulneráveis da sociedade. O seu orçamento anual, para as atividades de desenvolvimento social e cultural foi, em 2017, de US$ 925 milhões. O Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico (AKFED), uma agência para o desenvolvimento que realiza investimentos de longo prazo numa base comercial, em economias frágeis, gerou receitas superiores a US$ 4.1 biliões, em 2017. Todos os excedentes são reinvestidos em novos projetos de desenvolvimento.