Está aqui

Está aqui

  • Vice-Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, o Sr. Francisco Rocha Gonçalves; Embaixador da Guiné-Bissau em Portugal, o Sr. Hélder Vaz; Representante Diplomático do Imamat Ismaili, Nazim Ahmad; na Delegação do Imamat Ismaili em Lisboa.
    AKDN
  • O vice-presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Francisco Rocha Gonçalves, e o representante diplomático do Imamat Ismaili, Nazim Ahmad, entregam os donativos ao embaixador de São Tomé e Príncipe em Lisboa António Espirito Santo.
    AKDN
  • O Representante Diplomático do Ismaili Imamat, Nazim Ahmad, e o Vice-Presidente do Conselho Municipal de Oeiras, Sr. Francisco Rocha Gonçalves, entregam os donativos ao Embaixador de Cabo Verde em Lisboa Eurico Monteiro, na Delegação do Ismaili Imamat, perante o olhar de terceiros.
    AKDN
A AKDN Portugal estabelece parceria com a Câmara de Oeiras para apoiar a África Lusófona na sequência da pandemia de COVID-19

Lisboa, Portugal, 22 de Maio 2020 - A Rede Aga Khan para o Desenvolvimento estabeleceu hoje uma parceria com a Câmara Municipal de Oeiras para fornecer equipamentos médicos e de proteção individual à Guiné-Bissau, em apoio à resposta do país à pandemia do coronavírus. Esta contribuição é a primeira de uma série de cinco contribuições em espécie para a África Lusófona.

Numa iniciativa conjunta que visa a cooperação com os países africanos de língua portuguesa (PALOP), a Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN) e a Câmara Municipal de Oeiras contribuíram com 2 ventiladores, 50 000 máscaras cirúrgicas, 50 000 pares de luvas, 2000 máscaras reutilizáveis e 12 termómetros de infravermelhos para a Guiné-Bissau.

O material será entregue às autoridades de saúde da Guiné, num esforço de apoiar o Instituto Nacional de Saúde Pública da Guiné e a Organização Mundial da Saúde (OMS) na sua resposta ao crescente número de casos de COVID-19 no país.

A contribuição foi entregue ao embaixador da Guiné-Bissau em Lisboa, o Sr. Hélder Vaz, pelo Representante Diplomático do Imamat Ismaili, Nazim Ahmad, e pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, o Sr. Francisco Rocha Gonçalves, na Delegação do Imamat Ismaili.

2020-06_portugal_l0a1402-r.jpg

A contribuição feita em nome da AKDN e da Câmara Municipal de Oeiras consistia em ventiladores, máscaras cirúrgicas e luvas.
Copyright: 
AKDN
Esta é a primeira de uma série de contribuições em espécie que serão feitas a vários países lusófonos de África, nomeadamente Moçambique, Angola, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, para as quais a AKDN uniu esforços com outros intervenientes portugueses, incluindo o governo nacional e local, o Instituto da Cooperação Portuguesa e outras organizações da sociedade civil.
 

A esta iniciativa seguiu-se o envio para Cabo Verde de uma contribuição na forma de 2 ventiladores, 10 000 máscaras cirúrgicas, 10 000 pares de luvas e 2000 máscaras reutilizáveis. O material será entregue às autoridades de saúde de Cabo Verde, num esforço de apoiar o Instituto Nacional de Saúde Pública de Cabo Verde e a Organização Mundial da Saúde (OMS) na sua resposta ao crescente número de casos de COVID-19 no país. A contribuição foi entregue ao embaixador de Cabo Verde em Lisboa, o Sr. Eurico Monteiro, pelo Representante Diplomático do Imamat Ismaili, Nazim Ahmad, e pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, o Sr. Francisco Rocha Gonçalves, na Delegação do Imamat Ismaili.

Na terceira de cinco contribuições da Câmara Municipal de Oeiras e da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento para os países africanos de língua portuguesa, foram oferecidos a São Tomé e Príncipe 2 ventiladores, 10 000 máscaras cirúrgicas, 10 000 pares de luvas e 2000 máscaras reutilizáveis. A entrega foi feita pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Francisco Rocha Gonçalves, e pelo representante diplomático do Imamat Ismaili, Nazim Ahmad, numa cerimónia realizada em 4 de Junho de 2020 no edifício da AKDN em Lisboa.

Esta iniciativa dá resposta à crise de saúde causada pela COVID-19, fazendo face a preocupações relacionadas com o acesso a tratamentos médicos e a equipamentos de proteção individual, os quais são escassos nestes países em desenvolvimento.