Está aqui

Está aqui

  • Sua Alteza o Aga Khan é recebido num jantar no Palácio do Eliseu pelo presidente francês Emmanuel Macron, na véspera do Fórum da Paz de Paris.
    AKDN / Cécile Genest
  • O Presidente Emmanuel Macron dá as boas-vindas a Sua Alteza o Aga Khan na sessão de abertura do Fórum da Paz de Paris, perante o olhar do Presidente Paul Biya, dos Camarões. Paris, 12 de Novembro de 2019.
    AKDN / Cécile Genest
  • Da esquerda para a direita: Aung Kyaw Moe, Diretor Executivo do Centro para a Integridade Social, Meredith Preston McGhie, Secretária-geral do Centro Global pelo Pluralismo e Bojana Dujković-Blagojević, do projeto "Learning History that is Not Yet History Network" durante o painel intitulado “Como pode o pluralismo fortalecer a paz? Lições a retirar dos vencedores do GCP 2019". Fórum da Paz de Paris, 12 de Novembro de 2019.
    AKDN / Cécile Genest
  • Onno Ruhl, Diretor-Geral da Agência Aga Khan para o Habitat, modera um painel intitulado "Sobreviver à Fúria Climática: Construir Infraestruturas Resistentes numa Era de Aquecimento Global". Entre os oradores estão representantes da AXA Seguros, da Agência de Gestão de Desastres Naturais da Índia, da Fundação Europeia do Clima e do Departamento de Cooperação e Desenvolvimento Internacional da Comissão Europeia. Fórum da Paz de Paris, 12 de Novembro de 2019.
    AKDN / Cécile Genest
  • O painel “Manusear com Cuidado: Administração Local e Prevenção de Conflitos em Estados Frágeis” explora a forma como a administração local e o envolvimento da comunidade podem apoiar os esforços de agentes multilaterais e nacionais na construção de resiliência e na prevenção de conflitos em ambientes frágeis. A AKDN está representada pelo Dr. Najmuddin Najm, Presidente da AKF Afeganistão. Fórum da Paz de Paris, 13 de Novembro de 2019.
    AKDN / Sarah James
A AKDN associa-se ao Fórum da Paz de Paris

Paris, França, 12 de Novembro de 2019 - Sua Alteza o Aga Khan, fundador e presidente da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN), juntou-se hoje a mais de 30 líderes mundiais para a sessão de abertura do segundo Fórum da Paz de Paris. Iniciado pelo Presidente de França Emmanuel Macron, o Fórum teve por base o princípio de que a cooperação internacional é fundamental no combate aos desafios globais e na salvaguarda de uma paz duradoura. O Fórum realizou-se no 100.º aniversário do Armistício, que assinalou o fim da Primeira Guerra Mundial.

“Pela minha experiência, as condições vitais para a estabilidade no mundo de hoje passam por dar destaque à participação local, a promoção do pluralismo e o fortalecimento das organizações da Sociedade Civil. Fico feliz que a Rede Aga Khan para o Desenvolvimento se associe de novo ao Fórum da Paz de Paris e que o Centro Global pelo Pluralismo esteja igualmente a organizar um evento no Fórum deste ano. O pluralismo é certamente um componente central da paz e do progresso”, comentou o Aga Khan.

 

Ontem à noite, o Aga Khan juntou-se aos chefes de estado e de governo presentes para um jantar por ocasião do Fórum, oferecido pelo Presidente Macron no Palácio do Eliseu.

A necessidade do pluralismo enquanto valor fundamental na sociedade tem sido frequentemente mencionada pelo Aga Khan, chamando-lhe um “fundamento indispensável para a paz e o progresso humano. Ele acredita que, como a sociedade humana é essencialmente pluralista, “[...] Ter noção das diversas contribuições, em todas as épocas e culturas, dos vários povos para a civilização global é essencial para existir respeito e compreensão.”

Incentivar o pluralismo tem sido, portanto, um objetivo de muitos dos programas da AKDN; nestes incluem-se planos de desenvolvimento económico rural e planos de irrigação que juntam comunidades diferentes no Paquistão para melhorarem a sua qualidade de vida; programas inclusivos de leitura para crianças no Quénia; um projeto para integrar imigrantes em Lisboa; e os recentes Prémios Aga Khan para a Música que demonstram o pluralismo cultural que existe no mundo muçulmano, uma vez que a música pode "transcender antigas fronteiras de tempo e espaço", de acordo com o Aga Khan. O objetivo principal da AKDN é o de desenvolver sociedades civis bem-sucedidas nas quais todos os cidadãos, independentemente das diferenças culturais, religiosas ou étnicas, possam cumprir todo o seu potencial.

Como expressão do compromisso do Aga Khan para com o pluralismo enquanto algo essencial para uma sociedade estável e pacífica, criou, em parceria com o Governo do Canadá, o Centro Global pelo Pluralismo, em Ottawa, com o objetivo de promover a investigação, a educação e o intercâmbio de conhecimentos sobre este tema.

No Fórum, Meredith Preston McGhie, Secretária-geral do Centro Global pelo Pluralismo (GCP), proferiu o discurso de abertura de um evento paralelo intitulado: “Como pode o pluralismo fortalecer a paz? Lições a retirar dos vencedores do GCP 2019”, no qual destacou a necessidade urgente do pluralismo nos esforços de construção da paz. De seguida, moderou um debate entre dois dos vencedores dos Prémios Globais de Pluralismo de 2019: Aung Kyaw Moe, Diretor Executivo do Centro para a Integridade Social (a trabalhar em Myanmar); e Bojana Dujković-Blagojević, da Rede 'Learning History that is Not Yet History' (professores de história que ensinam a história do conflito nos seus países da ex-Jugoslávia). 

 

Também durante o dia, Onno Ruhl, diretor-geral da Agência Aga Khan para o Habitat (AKAH), participou num painel intitulado " Sobreviver à Fúria Climática: Construir Infraestruturas Resistentes numa Era de Aquecimento Global". O painel discutiu a Aliança de Infraestruturas Resistentes a Desastres (CDRI) e envolveu uma série de intervenientes com o objetivo de identificar áreas específicas nas quais a cooperação internacional e o intercâmbio poderão promover a criação de infraestruturas resistentes a desastres e ao clima. Entre os oradores estiveram representantes da AXA Seguros, da Agência de Gestão de Desastres Naturais da Índia, da Fundação Europeia do Clima e do Departamento de Cooperação e Desenvolvimento Internacional da Comissão Europeia.

Em 13 de Novembro, Meredith Preston McGhie participará num painel de discussão sobre “A defesa do Pluralismo: Incluir as Minorias em Sociedades Diversas”, enquanto Najmuddin Najm, Presidente da Fundação Aga Khan do Afeganistão, participará num debate intitulado “Tratar com cuidado, a administração local e a prevenção de conflitos em estados frágeis.”

Para mais informações acerca do trabalho da AKDN, por favor visite: www.akdn.org ou email: info@akdn.org

NOTAS

Fundada por Sua Alteza o Aga Khan, a Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN) é um grupo de agências privadas internacionais não-confessionais que trabalham para melhorar as condições de vida e as oportunidades de pessoas a viver em regiões específicas do mundo em desenvolvimento. As organizações da Rede têm mandatos individuais que vão desde os cuidados de saúde (através de mais de 200 unidades de saúde incluindo 13 hospitais) e de educação (com mais de 200 escolas) até à arquitetura, desenvolvimento rural, ambiente construído e promoção de empresas do sector privado. Em conjunto, trabalham em prol de um objetivo comum - construir instituições e programas que possam responder aos desafios de mudança social, económica e cultural de forma continuada. A AKDN trabalha em 30 países de todo o mundo, empregando aproximadamente 80.000 pessoas, a maioria das quais vive em países em desenvolvimento. O orçamento anual da AKDN para atividades de desenvolvimento sem fins lucrativos é de aproximadamente 950 milhões de dólares. As agências da AKDN levam a cabo os seus programas sem ter em conta religião, origem ou género.