Está aqui

Está aqui

  • O Príncipe Rahim Aga Khan discursa perante os convidados na inauguração da Academia Aga Khan de Maputo, em 19 de Março de 2022.
    AKDN / Akbar Hakim
  • O Presidente de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, e o Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, descerram a placa comemorativa da inauguração da Academia Aga Khan de Maputo, perante o olhar do Príncipe Rahim.
    AKDN / Akbar Hakim
  • O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, discursa durante a cerimónia de inauguração da Academia Aga Khan de Maputo, em 19 de Março de 2022.
    AKDN / Akbar Hakim
  • O Presidente de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, dirige-se aos convidados na inauguração da Academia Aga Khan de Maputo, em 19 de Março de 2022.
    AKDN / Akbar Hakim
Academia Aga Khan ilustra parceria entre a AKDN e Moçambique

Maputo, Moçambique, 19 de Março de 2022 – A Academia Aga Khan Maputo, um novo centro académico de excelência, foi hoje inaugurada pelo Presidente da República de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, juntamente com o Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, na presença do Príncipe Rahim Aga Khan, em representação de Sua Alteza o Aga Khan.

Durante o seu discurso no evento, o Presidente Filipe Jacinto Nyusi observou que a Academia reflecte a parceria de longa data entre o Governo, o Imamat Ismaili e a Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN). “Temos acompanhado o impacto positivo dos vários projetos socioeconómicos levados a cabo pela Rede Aga Khan para o Desenvolvimento, os quais têm contribuído fortemente para o progresso de Moçambique, em linha com o nosso programa nacional de desenvolvimento”, afirmou.

A Academia – localizada na Matola, a 30 minutos de carro do centro de Maputo, capital de Moçambique – é a terceira escola de uma rede global integrada de Academias residenciais, não-confessionais e sem fins lucrativos. As Academias Aga Khan refletem a visão de Sua Alteza o Aga Khan, fundador e Presidente da AKDN, de fomentar o desenvolvimento de líderes que possuam um forte sentido de ética e responsabilidade cívica e que venham a contribuir de forma positiva para o futuro do seu país. As Academias oferecem uma educação completa, de acordo com os mais altos padrões internacionais, a raparigas e rapazes talentosos entre os 3 e os 18 anos e de todos os contextos sociais. Os estudantes são seleccionados pelo mérito, independentemente da sua capacidade financeira. Atualmente, 50% dos estudantes recebem algum tipo de apoio financeiro na forma de bolsas de estudo.

A cerimónia de inauguração da escola diurna e residencial sem fins lucrativos teve lugar no polo de 22 hectares da Academia Aga Khan. Estiveram presentes o ex-Presidente da República de Moçambique Joaquim Alberto Chissano, altos funcionários do governo moçambicano, embaixadores, diplomatas, representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), assim como líderes de organizações da sociedade civil, professores da Academia, estudantes e pais.

Dirigindo-se aos presentes, o Presidente Rebelo de Sousa notou que tem acompanhado de perto a implementação dos projetos da AKDN no país e o impacto que estes têm tido. “Esta Academia é o resultado da nossa parceria e da nossa agenda comum de desenvolvimento. Estou convencido de que Moçambique irá continuar a prosperar, a oferecer acesso a uma educação segundo padrões internacionais e a desenvolver o seu capital humano.”

2022-03-mozambique-akbar_hakim-0875.jpg

O Príncipe Rahim Aga Khan discursa perante os convidados na inauguração da Academia Aga Khan de Maputo, em 19 de Março de 2022.
Copyright: 
AKDN / Akbar Hakim

Falando em nome de Sua Alteza o Aga Khan, o Príncipe Rahim expressou o seu apreço a Sua Excelência o Presidente Nyusi pela sua amizade e pelo apoio dado à Academia. “Sob a sua liderança, as autoridades moçambicanas proporcionaram as condições para que este projecto visse a luz do dia”, disse. Agradeceu igualmente ao Presidente Rebelo de Sousa e ao ex-Presidente da República de Moçambique Joaquim Alberto Chissano pelo seu apoio constante no sentido de assegurar a prestação de uma educação de qualidade aos estudantes moçambicanos.

O Príncipe Rahim partilhou ainda uma mensagem especial com os alunos presentes na inauguração, incentivando-os a serem líderes do seu próprio futuro: “Ao longo dos vossos estudos e da vossa juventude, os adultos irão dizer-vos que têm o futuro à vossa frente. Quero dizer-vos que o futuro é aquilo que vocês deixam para trás, moldado por cada uma das vossas acções, afirmações e decisões. O futuro segue-vos no caminho que escolherem”, disse.

“Esta Academia é uma instituição nascida de decisões e acções passadas, que irão agora moldar o futuro: o vosso futuro, o futuro das vossas famílias e o futuro deste belo país, Moçambique.”

A primeira Academia Aga Khan foi criada em 2003 em Mombaça, no Quénia, e a segunda em Hyderabad, na Índia, em 2013. Está prevista a abertura de uma quarta Academia em Daca, no Bangladesh, em Agosto de 2022. Já arrancou também o processo de design para uma Academia em Lisboa, Portugal.

Os graduados das Academias Aga Khan conseguiram ingressar em algumas das principais universidades do mundo, tendo recebido bolsas de estudo no valor de mais de 63 milhões de dólares nos últimos cinco anos. Demonstraram um compromisso sustentado para com o serviço comunitário e um desejo de apoiar o desenvolvimento dos seus países e regiões de origem.

As Academias Aga Khan estão empenhadas em fortalecer o magistério e desenvolver as capacidades de ensino em todas as regiões em que estão presentes. Cada Academia incorpora um Centro de Desenvolvimento Profissional (PDC) para a formação de professores e a inovação curricular do seu corpo docente, abrangendo também os professores do sector público. Na província de Maputo, mais de 1300 professores de 16 escolas públicas e privadas concluíram os programas de aprendizagem profissional no PDC, com ênfase na alfabetização, aritmética e liderança escolar. Até agora, já receberam formação nos dois PDC de África 6000 professores e formadores de professores de mais de 840 escolas.

A Academia Aga Khan Maputo fez uma parceria com a AFD para apoiar a construção do polo da Academia e para a partilha das melhores práticas. A AKDN e a AFD trabalham em conjunto numa vasta gama de projectos em educação e saúde em regiões de África e Ásia onde as necessidades são mais prevalentes. Em Cabul, no Afeganistão, por exemplo, o Instituto Médico Francês para Mães e Crianças (FMIC) foi criado no contexto de uma parceria única entre a AFD, o governo do Afeganistão, a ONG francesa La Chaine de L'Espoire e a AKDN. Em Nairobi, no Quénia, a AFD estabeleceu uma parceria com o Hospital da Universidade Aga Khan de Nairobi para criar um Centro Cardiológico e Oncológico de classe mundial.

A Academia ministra o currículo International Baccalaureate (IB), promovendo a excelência académica, pensamento crítico, serviço e iniciativa, competências de liderança, responsabilidade social e uma perspectiva pluralista. Os intercâmbios internacionais e a colaboração entre estudantes e professores de diferentes Academias Aga Khan são uma característica fundamental do programa. Os alunos desenvolvem perspectivas transculturais, consciência internacional e uma mente aberta, em conjunto com uma maior noção das suas próprias raízes e identidade cultural.

O polo da Academia Aga Khan Maputo, construído especificamente para o efeito, está situado em terrenos doados pelo Governo de Moçambique. A Academia oferece instalações de última geração, laboratórios científicos dedicados, estúdios de arte e recintos desportivos, assim como equipamentos residenciais, recreativos e sociais para estudantes e funcionários, construídos de acordo com os padrões internacionais. Foi projectado pelas empresas de arquitectura de referência da HOK International (Reino Unido), Nuno Leónidas Arquitectos (Portugal) e Menezes e Peral Arquitectos (Moçambique).

Durante a sua visita de três dias a Moçambique, o Príncipe Rahim encontrou-se com o Presidente Filipe Jacinto Nyusi e participou num jantar em honra do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa. Reuniu-se ainda com Esperança Laurinda Bias, Presidente da Assembleia da República, Nyeleti Brooke Mondlane, Ministra do Género, Criança e Ação Social, Eldevina Materula, Ministra da Cultura e Turismo, e com o ex-Presidente da República de Moçambique, Joaquim Chissano.

Desde 2001, a AKDN já alocou 350 milhões de dólares, incluindo financiamento de doadores, a Moçambique, beneficiando diretamente mais de meio milhão de pessoas. Os seus programas nas áreas da agricultura, segurança alimentar, educação, saúde, fortalecimento da sociedade civil, preparação e resposta a desastres, têm melhorado a qualidade de vida e as oportunidades de populações vulneráveis de todas as religiões e contextos em Moçambique.