Está aqui

Está aqui

  • Sehar (de vermelho) com colegas durante um semestre de intercâmbio no polo da UCA em Khorog.
    UCA
Sehar Naz Janani: Reflexões acerca do primeiro semestre

Sehar Naz Janani é uma estudante do segundo ano na Universidade da Ásia Central, em Naryn, na República do Quirguistão. Nesta publicação, escrita originalmente para o jornal da escola, ela analisa o seu primeiro semestre na UCA.

 

Ao recordar os últimos quatro meses de estudos pela noite dentro, trabalhos extensos, aulas consecutivas e muitas chávenas de café antes dos exames de matemática, comecei a perceber: terminei finalmente o meu primeiro semestre na Universidade da Ásia Central. E acreditem no que vos digo, não foi fácil.

Ainda me lembro do dia em que recebi a minha carta de admissão da UCA. Aquela carta deu origem a enormes expectativas, depois de um processo de candidatura que me deixou muito excitada para o futuro.

Enquanto me candidatava à Universidade da Ásia Central, dei por mim a imaginar como seriam bonitas as montanhas do Quirguistão. Pensava: 'Se for admitida como estudante, como é que isso irá mudar a minha vida? Que pessoa virei a ser?' Acreditem, uma mudança repentina de Karachi, no Paquistão para Naryn, no Quirguistão, é um grande choque. Quando experienciei pela primeira vez o clima gelado de Bisqueque, ao sair do Aeroporto Internacional de Manas, senti o meu corpo a congelar, mas também a minha alma a ficar congelada no tempo. Nunca irei esquecer aquela sensação de ser estrangeira num país pela primeira vez.

O ano letivo foi oficialmente inaugurado em 4 de Setembro por Shamsh Kassam Lakha, Presidente do Conselho de Administração, e Diana Pauna, Reitora da UCA. Quando a campainha tocou durante a cerimónia, percebi que o meu sonho se tinha finalmente tornado realidade. Estava finalmente na minha nova casa. Desde então, tem sido uma honra fazer parte da comunidade da UCA.

No meu primeiro semestre, fiz alguns bons amigos aqui e acumulei muitas novas memórias. A UCA é um lugar de sorrisos, amor, paz e, claro, de trabalhos!

No entanto, a coisa mais maravilhosa na vivência na UCA é o equilíbrio entre a vida académica e social. Os muitos trabalhos que tenho de fazer são sempre equilibrados com atividades divertidas que acontecem por todo o polo - desde noites de quiz e celebrações do Dia das Bruxas, o “Pequeno-Almoço ao Jantar” e o Dia da Diversidade, aos frequentes espetáculos de talentos. Estes eventos mantêm-nos ativos e envolvidos. E melhor do que isso tudo, ajuda-nos a evitar ter saudades de casa.

O que realmente adoro na UCA é o apoio por parte dos docentes. A forma como os professores promovem a compreensão e uma visão mais profunda da sua área de especialização é muito inspiradora. As suas estratégias de ensino - assentes numa aprendizagem baseada em atividades - ajudam a alargar a nossa compreensão acerca da essência de cada disciplina. Aqui na UCA, não aprendi apenas a ter aproveitamento num curso, mas também a apaixonar-me pela aprendizagem. Durante o meu primeiro semestre, nunca senti os meus trabalhos como um fardo. E descobri que gosto realmente de pesquisar e escrever artigos acerca de tópicos que me interessam.

Resumindo, a vida na UCA é uma combinação de aprendizagem e diversão. Acredito que a minha decisão de estudar na UCA valeu a pena. Aqui, consigo vislumbrar claramente os meus sonhos para o futuro, e cada pessoa na UCA desempenha um papel fundamental no apoio à sua concretização.

[Saiba mais sobre a Universidade da Ásia Central]