Está aqui

Está aqui

  • Mahek Shah, um estudante da Academia Aga Khan de Mombaça, criou a Wings for Women - um projeto que está a formar adolescentes no Quénia para se tornarem pilotos.
    AKDN / Mahek Shah
Mahek Shah: Os seus sonhos ganham asas

Mahek Shah, aluna do Programa 1 de Licenciatura da Academia Aga Khan (AKA) em Mombaça, tem uma paixão por voar desde que se lembra. Enquanto jovem aviadora, Mahek sentiu-se impelida a mudar a conceção de que a aviação é uma indústria predominantemente masculina. Ao longo do seu Programa do Ensino Preparatório (PEP), parte do currículo International Baccalaureate (IB), na AKA de Mombaça, Mahek conseguiu pegar na sua paixão e transformá-la na Wings for Women [Asas para Mulheres] - um projeto que forma adolescentes no Quénia para se tornarem pilotos.

A capitã Irene Koki Mutungi - a primeira capitã africana da aeronave Boeing 787 “Dreamliner” - é a principal fonte de inspiração por trás do projeto inovador de Mahek. Ter aprendido acerca das conquistas da capitã Koki foi o que influenciou Mahek a criar a Wings for Women.

“A capitã Koki incentiva as mulheres a derrubar estereótipos e a trabalhar duro para alcançar os seus sonhos”, disse Mahek. “Ela realizou várias palestras motivacionais no Quénia e teve um papel importante na formação da carreira de muitas mulheres.”

A Wings for Women tem vindo a realizar com sucesso seminários em Mombaça e Nairobi. Atualmente, a equipa de Marek, liderada por estudantes e com 14 membros, está focada em aumentar o seu raio de ação para chegar às mulheres de todo o Quénia.

Marek, nascida no Reino Unido e criada em Mombaça, espera entrar para a universidade no Reino Unido no próximo ano. Para estimular ainda mais a sua ambição de se tornar piloto, Mahek participou numa colónia de verão de aviação ao longo de 12 dias na Brookfield Aviation International, em Inglaterra. A colónia incluía cursos de formação de voo que consistiam em três aulas de voo de uma hora numa aeronave leve (Piper PA-28). Para além disso, Mahek passou por uma formação escolar em direito aéreo, navegação e comunicações. Ela também participou em aulas de voo acrobático e de helicóptero.

Para Mahek, praticar nos simuladores de movimento total da Emirates foi o aspeto mais desafiante e emocionante da sua formação.

“Demorei algum tempo a habituar-me a voar em dois simuladores diferentes”, disse Mahek. “O simulador Airbus 380 usava um comando de punho e só após dois testes é que consegui aterrar o avião. O Boeing 777, por outro lado, foi muito mais fácil de voar usando um volante.”

Outra faceta importante da sua formação foi poder conhecer as companhias aéreas e visitar as sedes, para além de participar na Formação em Procedimentos de Segurança e Emergência (PES) na British Airways e visitar o Centro de Património da British Airways.

aka-kenya-mahek_shah.jpg

Mahek Shah, a quinta a contar de baixo, participou numa colónia de aviação na Brookfield Aviation International, no Reino Unido.
Copyright: 
AKDN / Mahek Shah

A paixão e a ambição de Mahek de ser piloto progrediram de forma natural para se tornar uma missão maior de defesa da igualdade de género no seu sector. O tempo que Mahek passou no campo de aviação reforçou a sua convicção de que as mulheres podem ser bem-sucedidas no campo da aviação - uma mensagem que ela perspetiva que a Wings for Women continue a partilhar pelo Quénia hoje e por África amanhã.

Ao estudar o currículo do IB na Academia, Mahek acredita que lhe foi dada a confiança necessária para seguir com o seu projeto em frente. Ela também atribui mérito aos seus professores na Academia por serem um dos seus maiores sistemas de apoio.

“As características do Perfil do Aluno das Academias Aga Khan de ter uma mente aberta e de ser solidário ajudaram-me a interagir com pessoas da indústria da aviação durante a colónia”, disse Mahek. “Toda esta experiência permitiu-me tomar decisões com um maior sentido ético e ser uma pessoa bastante tolerante e pluralista.”

Mahek é aluna da Academia Aga Khan de Mombaça, um programa da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento, e a primeira escola de uma rede com planos para incluir 18 academias em 14 países em todo o mundo. A Academia Aga Khan de Mombaça é uma Escola Mundial da International Baccalaureate (IB), que oferece um currículo IB baseado localmente e relevante a nível global. A entrada na Academias não leva em conta a situação económica dos alunos, sendo baseada no mérito. Para mais informações sobre a Academia, visite: http://www.agakhanacademies.org/mombasa