Está aqui

Está aqui

  • “A coisa mais importante”, destaca Rukhshod, “é servir as pessoas e resolver os problemas das pessoas. Este é o aspeto principal e a coisa mais importante no meu trabalho aqui."
    AKDN / Christopher Wilton-Steer
A História de Rukhshod: Garantir serviços financeiros em áreas rurais

Conheça Rukhshod, diretor de uma organização nacional de microempréstimos (MLO) no Tajiquistão, com cinco filiais em três regiões. O percurso de Rukhshod desde uma simples dona de casa de uma pequena aldeia até chegar a esta posição começou quando se tornou gestora do comité de mulheres de uma pequena organização de aldeia. A sua capacidade natural de envolver os membros da comunidade de modo a garantir que todas as vozes fossem ouvidas granjeou-lhe, desde cedo, respeito e reconhecimento entre os seus pares. Em 2007, numa altura em que várias organizações de aldeia da sua área se fundiram numa federação, Rukhshod foi selecionada para liderá-la e fê-lo com sucesso. Quatro anos depois, em 2011, Rukhshod foi nomeada diretora da MLO regional "Rushdi Pomir". Graças às Ligações Económicas e Sociais: Um Mecanismo de Financiamento com Múltiplas Contribuições para o Desenvolvimento da Área no Tajiquistão (ESCoMIAD), um projeto conjunto da Fundação Aga Khan (AKF) e da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), Rukhshod recebeu formações em planeamento empresarial, análise de balanços financeiros e gestão de tesouraria, o que lhe permitiu ser bem-sucedida nesta função. A sua formação em economia também lhe abriu o caminho para uma rápida assimilação da matéria.

Nos últimos anos, a ESCoMIAD tem feito avanços significativos no desenvolvimento das capacidades de funcionários como Rukhshod, fortalecendo, ao mesmo tempo, as MLO com o objetivo de criar um ambiente que torne os serviços financeiros acessíveis às famílias rurais de baixos rendimentos.

O que são organizações de microempréstimos?

Nos últimos anos, os fundos das organizações de aldeias como a de Rukhshod cresceram, e os líderes cívicos começaram a implementar iniciativas de desenvolvimento local. Em 2004, uma nova lei no Tajiquistão exigiu que todos os empréstimos informais fossem formalizados para melhorar a responsabilização, estabelecendo assim as organizações de microempréstimos, ou MLO, no país. Desde então, foram implementadas novas regulamentações que aumentaram a base de capital necessária, assim como medidas de segurança e de manutenção de registos.

Em 2016, para garantir o acesso a serviços financeiros de qualidade em áreas rurais e remotas, a AKF apoiou a fusão de cinco MLO de três regiões do Tajiquistão onde opera, formando um MLO de âmbito nacional, a “Rushdi Kuhiston”. As MLO cresceram a partir de estruturas de administração das organizações da aldeia e acabaram por se tornar entidades por direito próprio, sendo propriedade da comunidade enquanto acionista. As formações, os sistemas financeiros aperfeiçoados e os novos produtos de empréstimo adaptados às necessidades locais garantiram que as MLO consolidadas se adaptavam a um ambiente regulatório em mudança e às circunstâncias económicas.

Em 2016, a sede da MLO Rushdi Kuhiston foi estabelecida em Khorog, onde Rukhshod ocupa atualmente o cargo de diretora nacional. Desde então, já foram distribuídos 1,5 milhões de dólares em empréstimos, apoiando o consumo das famílias e os investimentos das pequenas empresas. Mais importante ainda, a organização é financeiramente sustentável e devolve os dividendos aos acionistas das comunidades. Também foram introduzidas novas inovações: todas as agências funcionam hoje com uma ligação segura e em tempo real a um software bancário integrado, permitindo que mesmo as repartições mais remotas em zonas de fronteira perto do Afeganistão consigam atualizar os registos em relação a novos empréstimos e pagamentos.

Enraizado na comunidade, de propriedade local

Tal como outras MLO apoiadas pela ESCoMIAD, a MLO Rushdi Kuhiston adota uma abordagem baseada na comunidade para o acesso ao financiamento. É, em essência, uma instituição financeira com um rosto local.

Rukhshod tem orgulho em ser um desses rostos. Para ela, não é o número de empréstimos atribuídos que importa. A coisa mais importante é a quantidade de pessoas comuns que “se afastam da pobreza” e se sentem apoiadas na ausência de um sistema bancário tradicional e beneficiam do empréstimo, independentemente do quão pequena possa ser a quantia.

“A coisa mais importante”, destaca Rukhshod, “é servir as pessoas e resolver os problemas das pessoas. Este é o aspeto principal e a coisa mais importante no meu trabalho aqui."

As MLO preenchem uma lacuna nos serviços financeiros e com o apoio das organizações da aldeia, aumentam a resiliência das comunidades na região.

“Temos aqui pessoas muito pobres. A nossa região é a mais pobre do Tajiquistão”, diz Rukhshod. “Em comparação com outras regiões, não temos fábricas; não temos muitas oportunidades. As pessoas não têm oportunidades económicas. E eu sei que elas vivem com dificuldades. Eu também vivia com dificuldades antes de chegar, passo a passo, até ao cargo onde estou hoje. E é por isso que eu queria ajudar a apoiá-los.”

Ao apoiar as economias locais e a população local, a ESCoMIAD está a expandir o acesso a oportunidades sociais e financeiras. Um maior acesso ao financiamento, em especial, fará uma diferença sustentada na vida das pessoas no Tajiquistão, como Rukhshod e os seus clientes - ajudando-os a dar resposta às suas próprias necessidades e a desenvolver as suas comunidades.

Este artigo foi adaptado de uma história publicada pela primeira vez no site da AKF EUA.