Está aqui

Está aqui

  • Mesquita de Badshahi, Lahore, Paquistão. A Cidade Murada de Lahore é famosa por vários monumentos históricos, incluindo o Forte de Lahore - Património da Humanidade - e as mesquitas de Badshahi e Wazir Khan.
    Matthieu Paley
  • Jovens mulheres no norte do Paquistão, principalmente de famílias carenciadas e marginalizadas, receberam formação num curso de carpintaria em Gilgit, organizado pelo Serviço Cultural Aga Khan do Paquistão (AKCSP). Atualmente, a iniciativa de Empresa Social Feminina emprega mais de 90 jovens mulheres em 7 profissões técnicas.
    AKDN / Christopher Wilton-Steer
  • Complexo do Forte de Lahore (Shahi Qila), Porta de Alamgiri vista do pavilhão de mármore em Hazuri Bagh, Lahore, Programa Aga Khan para as Cidades Históricas, Paquistão.
    AKDN / Christian Richters
  • Complexo do Forte de Lahore (Shahi Qila), Lahore, Programa Aga Khan para as Cidades Históricas, Paquistão.
    AKDN / Christian Richters
  • Forte de Baltit, Gilgit, Paquistão.
    AKDN / Christopher Wilton-Steer
Desenvolvimento cultural - Visão geral

O Programa Aga Khan para as Cidades Históricas (AKHCP) no Paquistão já restaurou uma série de fortes importantes, assentamentos tradicionais, mesquitas e espaços públicos nos altos vales da província de Gilgit-Baltistan, mais notavelmente o Forte Baltit no Vale Hunza e o Forte Shigar no Baltistão. Mais recentemente, começou a trabalhar na restauração da Cidade Murada de Lahore, Punjab. 

O Programa Aga Khan para as Cidades Históricas (AKHCP) trabalha em projetos em todo o Paquistão, desde a Cidade Murada de Lahore até sectores da Rota da Seda no norte do país.  Restaurou uma série de grandes fortes, povoados tradicionais, mesquitas e espaços públicos nos altos vales da província de Gilgit-Baltistão, principalmente os fortes de Baltit e Altit no Vale de Hunza e o Forte de Shigar e o Palácio Khaplu no Baltistão. Desde 2007, trabalhou na reabilitação da Cidade Murada de Lahore, lançando as bases para o seu renascimento socioeconómico e, mais recentemente, começando a trabalhar nos aspetos do património Mogol da cidade, incluindo a documentação do Forte de Lahore e a conservação da Mesquita de Wazir Khan. 

O Fundo Aga Khan para a Cultura (AKTC) visa melhorar as condições socioeconómicas das comunidades rurais e urbanas, potenciando o poder transformador do património cultural. O Fundo descobriu que a restauração e a reutilização adaptativa de monumentos emblemáticos podem ancorar as comunidades e ajudá-las a mobilizarem-se para um desenvolvimento global.  Os projetos do AKTC criaram oportunidades para aumentar os rendimentos dos locais, o desenvolvimento das competências, a promoção de materiais locais e o estabelecimento de novas instituições.  O trabalho do AKTC também contribui para recuperar o orgulho e a confiança nos ativos disponíveis na comunidade, e cria esperança numa melhoria da qualidade de vida. 

Esta conservação do património cultural baseada na comunidade foi evoluindo ao longo dos anos, com um alcance e experiência crescentes, tornando-a mais inclusiva e multiplicando os seus benefícios. A modernização e reabilitação dos povoados históricos em redor de monumentos de património desencadeou um processo de transformação social, permitindo que as comunidades locais tenham um melhor acesso aos serviços básicos. Ao mesmo tempo, a conservação da cultura material reforçou a consciencialização acerca do ambiente no imediato, incentivando o aumento da aquisição local de vários materiais e dando importância ao meio ambiente e à sua sustentabilidade enquanto aspetos importantes para o desenvolvimento cultural da área. 

Quase a entrar na sua terceira década de atividade no Paquistão, a missão do AKTC assumiu uma importância renovada e aumentada, tendo em conta os desafios que o país enfrenta. O Fundo continua a salientar a importância das artes e da cultura na promoção da compreensão e colaboração entre os povos dentro e fora do Paquistão, contribuindo assim para a paz e a segurança. 

O AKTC tornou-se ativo no norte do Paquistão em 1989, em resposta às preocupações de que a cultura única daquela área estava sob ameaça devido aos acontecimentos que se seguiram à conclusão da Estrada de Karakoram em 1978. Uma maior acessibilidade aos vales isolados de Gilgit-Baltistão, que faziam parte da antiga Rota da Seda da Ásia Central, mas que permaneceram inacessíveis ao tráfego de veículos, aliada ao impacto do turismo, introduziu uma rápida transformação dos costumes e padrões económicos locais.  Estas mudanças exigiram novas estratégias e procedimentos capazes de gerir essas mudanças rápidas em curso. 

A conservação do Forte de Baltit - cujos elementos mais antigos têm mais de 700 anos - e a estabilização do núcleo histórico da vila de Karimabad, no Vale do Hunza, foram as primeiras intervenções importantes do Fundo no Paquistão. O projeto foi concluído em 1996, mas os esforços de conservação continuaram.  A filial do AKTC no país, o Serviço Cultural Aga Khan - Paquistão (AKCSP), foi fundada em 1991. 

aktc-pakistan-171227_r.jpg


Mesquita de Maryam Zamani, Programa de Cidades Históricas de Aga Khan, em Lahore, Paquistão.
Copyright: 
AKDN / Adrien Buchet

Desde 2007, o AKTC tem vindo a envolver-se cada vez mais na revitalização da Cidade Murada de Lahore, em Punjab. Conhecida como “Jardins dos Mogóis” ou “Cidade dos Jardins” devido ao seu rico património do império Mogol (1524 a 1752), a cidade de Lahore possui muitos edifícios e jardins requintados, incluindo o Forte de Lahore, os Jardins Shalimar (construídos por Shah Jahan) e a Mesquita de Badshahi. Lahore atingiu o seu auge quando o Imperador Akbar fez da cidade a capital do Império Mogol entre 1584 e 1598.  

O AKTC, em parceria com o Governo de Punjab e o Banco Mundial, iniciou em 2007 um programa para a preservação dos monumentos Mogóis de Lahore e para apoiar o desenvolvimento socioeconómico em zonas carenciadas. O trabalho do AKTC - em cooperação com a Autoridade da Cidade Murada de Lahore (WCLA) - inclui a prestação de assistência na implementação de políticas eficazes de gestão do património.  Estes esforços levaram à aprovação de legislação específica para a Cidade Murada de Lahore por parte do governo de Punjab em 2012.

O AKTC também tem prestado assistência ao governo de Punjab na preparação de um Plano Diretor de Conservação e Redesenvolvimento para a Cidade Murada de Lahore. Este plano, estabelecido pelo Decreto-Lei para a Cidade Murada de Lahore, de 2012, ressalva a importância da proteção e conservação do valioso núcleo histórico de Lahore e da manutenção de uma população residencial substancial dentro da cidade velha, através da melhoria da sua qualidade de vida. O plano interpreta as várias disposições da Lei para incluir o inventário das propriedades patrimoniais e a identificação das zonas de especial valor, disponibilizando diretrizes para regular a utilização das terras.  Assim como em outros projetos do AKTC, é esperado que os projetos de restauração venham a ser um catalisador para a regeneração urbana e económica em toda a área da histórica Cidade Murada. 

Os projetos do AKTC venceram vários prémios internacionais de prestígio, entre eles 15 Prémios de Património da UNESCO Ásia-Pacífico pela Conservação do Património Cultural.