Está aqui

Está aqui

  • Artista cazaque de poesia oral Ulzhan Baibussynova.
    AKDN / Kate Vincent
  • Artista cazaque Ulzhan Baibussynova.
    AKDN / Kate Vincent
Desenvolvimento cultural

A Iniciativa Aga Khan para a Música (AKMI) foi criada inicialmente por Sua Alteza em 2000 para apoiar as iniciativas de músicos e comunidades da Ásia Central em Cazaquistão, e noutras pessoas na região, para manter, desenvolver e transmitir tradições musicais que são uma parte essencial do seu património cultural.

Em Almaty, a AKMI apoiou o Colégio de Música de Kökil e o seu fundador e diretor, Abdulhamit Raimbergenov, que trabalha para expandir a sua abordagem inovadora de ensino de música tradicional do Cazaquistão a crianças através do Programa “Murager” (Património) que concebeu e desenvolveu com o apoio do AKMI. Os estudantes que participam no Programa não são especificamente escolhidos pelo seu talento musical e a maioria não pretende vir a ser músicos profissionais. Em 2014, o Programa “Murager” foi considerado pelo Ministério da Educação do Cazaquistão um programa de música experimental oficial, de acordo com os padrões nacionais de educação musical e o apoio contínuo do “Murager” foi transferido para o Ministério.

O primeiro grande empreendimento da Iniciativa para a Música foi a colaboração de vários anos com o Silk Road Project, a iniciativa de arte internacional fundada e dirigida pelo violoncelista Yo-Yo Ma.

As atividades de colaboração levaram músicos conceituados da Ásia Central a um público ocidental e levaram também músicos ocidentais para a Ásia Central. Os destaques incluem um concerto e master classes em Almaty, bem como concertos na República do Quirguistão e no Tajiquistão. Em 2007, Ulzhan Baibussynova, um professor na Faculdade de Música Kökil em Almaty, tocou num dos álbuns Music of Central Asia, vol. 4: Bardic Divas: Women's Voices in Central Asianuma colaboração entre o AKMICA e a editora Smithsonian Folkways. O Smithsonian descreve o CD/DVD do seguinte modo: “canções líricas de bel cantosublimes, com récita gutural da poesia oral nómada, animadas e humorísticas e lamentos pungentes de amor não correspondido compõem esta perspetiva abrangente de música feminina contemporânea da Ásia Central, interpretada por algumas ds melhores intérpretes da região”.

O maior evento de colaboração, em 2002, contou também com uma parceria com a Smithsonian Institution através da qual a Iniciativa para a Música forneceu experiência de curadoria e apoio para uma representação importante de músicos e artistas da Ásia Central no Smithsonian Folklife FestivalThe Silk Road: Connecting Cultures, Creating Trust”. O festival de dez dias, que teve lugar no National Mall em Washington, D.C., atraiu 1,3 milhões de visitantes. O lançamento do Programa Tradition-Bearers foi de grande importância para a música da Ásia Central, numa altura em que, desmoralizados pela austeridade económica e a falta de interesse e reconhecimento pelo público, muitos músicos profissionais abandonaram a sua carreia como intérpretes e professores. A Iniciativa para a Música identificou músicos conceituados (“ustâds”), empenhados na conservação do seu património cultural, que eram não só intérpretes exímios e educadores talentosos, como também demonstraram inovação e empreendedorismo na sua abordagem para manter as tradições musicais.