Está aqui

Está aqui

Uma Tradição de Mulheres na Ciência: Criar as Cientistas, Investigadoras, Médicas, Enfermeiras e Professoras para o Mundo em Desenvolvimento

É célebre o apelo do Sultão Mahomed Shah, Aga Khan III, para a educação de raparigas e mulheres no início do século XX. Em 1905, ele criou várias escolas que aceitavam raparigas. Em 1945, disse que "se eu tivesse dois filhos, e um fosse um rapaz e o outro uma rapariga, e se eu apenas pudesse pôr um a estudar, não hesitaria em dar uma formação superior à rapariga."

Durante mais de um século, a AKDN tem vindo a investir no acesso das raparigas a uma educação de qualidade. Nos últimos 30 anos, mais de 10 milhões de raparigas e jovens mulheres em todos os níveis de educação beneficiaram diretamente dos esforços da AKDN - no Afeganistão, na Tanzânia, no Egipto e no Paquistão. Hoje, quase 70% dos licenciados na Universidade Aga Khan são mulheres.

A educação pode começar nas escolas, mas continua num conjunto de instituições educacionais, do ensino primário ao ensino superior, e para lá disso, nos hospitais, escolas, hotéis e empresas. Cada instituição da AKDN foi projetada para estimular o talento local que irá criar sociedades nas quais todos, independentemente do seu género, possam cumprir todo o seu potencial.

"O que estes desenvolvimentos significam", disse Sua Alteza o Aga Khan, na abertura da Academia de Hyderabad, na Índia, "é que os recursos humanos se tornaram mais importantes que os recursos naturais na determinação da riqueza de uma sociedade."

As mulheres são a chave para as sociedades de sucesso. Por exemplo, um aumento de 10% no número de raparigas a frequentar a escola leva a um incremento do PIB de um país na ordem dos 3%. As mulheres gastam 90% dos rendimentos obtidos com as suas famílias. Estudos comprovam que as empresas dirigidas por mulheres estão mais focadas na sustentabilidade.

O desenvolvimento destes recursos humanos locais em sociedades em desenvolvimento, muitos dos quais mulheres, é fundamental para as agências da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN). Ao desenvolver cientistas, enfermeiros, médicos, patologistas, professores, professores, profissionais de desenvolvimento, administradores, banqueiros e empresários com ética - para citar alguns - o AKDN está a criar os recursos humanos necessários para que os países em desenvolvimento subam mais um degrau na escada do desenvolvimento económico e social.