Está aqui

Está aqui

Encontrar um projeto

Projeto de Educação Arcadia
hide

Informação técnica

  • Ciclo do Prémio:
    Estado:
    Shortlisted
    País de origem:
    Bangladesh
    Localização:
    Kanarchor do Sul, Bangladesh
    Cliente:
    Fundo Social de Maleka, Daca, Bangladesh
    Arquiteto:
    Saif Ul Haque Sthapati, Daca, Bangladesh
    Design:
    2012-2014
    Dimensão:
    486 m²
    Completado:
    2016

Downloads

Caderno de imprensa :
hide

Após quatro décadas a ensinar no Reino Unido, Razia Alam voltou ao seu país natal, o Bangladesh, onde criou uma escola para crianças carenciadas, utilizando os fundos da sua reforma.

Quando o contrato de arrendamento nas instalações da escola expirou, a fundadora procurou um local para construção. O orçamento limitou-lhe as escolhas a áreas não adequadas para o desenvolvimento do projeto. Devido ao desejo de ter a escola perto da água, comprou um terreno à beira-rio que, como se veio a verificar, fica submersa em até 3 metros de água de monções durante um terço do ano.

Em vez de perturbar o ecossistema para criar um monte estabilizado para a construção ou erguer uma estrutura sobre palafitas que ficaria demasiado muito alta na estação seca, o arquiteto que escolheu - um conhecido de longa data - desenvolveu a solução de uma estrutura anfíbia, ancorada ao local, que poderia ficar assente no chão ou flutuar sobre a água, dependendo das condições da estação.

A pegada ecológica do edifício foi nivelada através do uso de paredes de retenção com sacos de areia, terra e enchimento com tijolos locais, e pneus usados fixados por cima para amortecimento. As colunas de bambu enterrados 2 metros no chão funcionam como pontos de ancoragem para as várias estruturas retangulares da escola independentes mas interligadas: três espaços multiusos usados principalmente como salas de aula; um escritório; uma plataforma aberta por cima; uma estrutura sanitária; uma fossa séptica e estruturas de tanques de água; e um corredor único que oferece acesso a todos os espaços. As colunas foram construídas com três tipos de bambu e são mantidas a flutuar com subestruturas de cilindros de aço de 30 galões usados entre estruturas de bambu.

O bambu foi escolhido pela sua leveza e durabilidade, e foi comprado em aldeias vizinhas e foi levado ao longo do rio até ao local. O bambu utilizado para a subestrutura, postes de ancoragem e no telhado foi tratado quimicamente para remover qualquer material que pudesse apodrecer. Todos os outros elementos foram impermeabilizados através da aplicação de líquido feito de fruta gaab local fervida - um método tradicional no Bangladesh. A maioria das juntas usa uma técnica de amarração por cordas em vez de cabos de aço que iriam corroer. Os telhados arqueados de bambu nas salas de aula, que permitem que os espaços fiquem livres de colunas, tinham alguma prototipagem a aperfeiçoar. Para além de algumas brocas alimentadas a bateria, apenas ferramentas manuais foram usadas na construção.

O carpinteiro que supervisionou a construção e a aquisição trabalhava para o cliente há mais de quatro décadas. Este habita perto da escola, pelo que pode responder rapidamente a qualquer problema de manutenção.