Está aqui

Está aqui

  • No Afeganistão, a Universidade gere o Instituto Médico Francês para Mães e Crianças (FMIC) como parte de uma parceria com os governos da França e Afeganistão e a ONG francesa La Chaîne de l'Espoir.
    AKU / David Fox
  • Em 2018, o primeiro lote de enfermeiros a especializarem-se em Oncologia formou-se na Escola de Enfermagem e Obstetrícia da Universidade Aga Khan em Nairobi. São os primeiros enfermeiros na África Oriental a serem formados especificamente nesta especialização.
    Kevin Ouma / GGImages / AKU
  • Vista aérea da Faculdade de Medicina do Hospital da Universidade Aga Khan em Karachi, Paquistão.
    Seven Heaven Pictures
  • Os estudantes praticam procedimentos odontológicos em "cabeças fantasma" de alta-fidelidade com a supervisão de professores experientes no laboratório de última geração de simulação odontológica do CIME.
    AKDN / Akbar Hakim
  • O Hospital Universitário Aga Khan, Nairobi, Quénia.
    AKDN / Zahur Ramji
Rede de hospitais universitários

A Universidade Aga Khan (AKU) está empenhada em estabelecer na região um padrão de excelência nos seus hospitais e clínicas no Paquistão, África Oriental e Afeganistão, os quais tratam mais de 2 milhões de pacientes anualmente e que têm vindo a disponibilizar tratamento de baixo custo a 2,4 milhões de pacientes ao longo dos últimos 30 anos. A AKU gere os únicos hospitais no Paquistão e na África Oriental que são credenciados pela Joint Commission International, sediada nos EUA. 

A Universidade Aga Khan (AKU) está empenhada em estabelecer na região um padrão de excelência nos seus hospitais e clínicas no Paquistão, África Oriental e Afeganistão, os quais tratam mais de 2 milhões de pacientes anualmente e que têm vindo a disponibilizar tratamento de baixo custo a 2,4 milhões de pacientes com baixos rendimentos ao longo dos últimos 30 anos. O Hospital Universitário Aga Khan de Karachi e o Hospital Universitário Aga Khan de Nairobi foram os primeiros hospitais dos seus países a cumprir com os rigorosos padrões de certificação da Joint Commission International, sediada nos EUA.   

Os centros de saúde académicos da AKU disponibilizam tratamento de alta qualidade apoiado pelo mais recente capital de conhecimento e oferecem uma variedade de serviços que não estão disponíveis noutros locais. A nossa equipa altamente treinada oferece desde cursos de pré-natal para grávidas a serviços de neurocirurgia, desde psiquiatria infantil a cuidados oncológicos abrangentes, e desde aconselhamento nutricional a transplante renal. Para além de oferecer cuidados excecionais aos mais necessitados, os Centros da AKU trabalham ativamente para prevenir doenças através da formação dos seus pacientes e do público em geral. 

Na AKU, acredita-se que todos merecem ter acesso a cuidados de qualidade, independentemente dos seus rendimentos ou do sítio onde moram. No Paquistão, mais de 70% dos pacientes que visitam todos os anos o Hospital Universitário têm baixos ou médios rendimentos. Uma grávida salva da morte após médicos noutro local já terem perdido a esperança; uma menina que recebeu uma cirurgia de emergência para corrigir uma malformação pulmonar que a colocava em risco de vida; um menino cujo cancro foi detetado e tratado com sucesso depois dos seus pais terem gasto todas as economias em busca de tratamento noutros hospitais - estes são apenas alguns exemplos que mostram como o compromisso da AKU em disponibilizar o acesso a cuidados de classe mundial, independentemente da capacidade dos beneficiários em pagar os tratamentos, faz a diferença entre a vida e a morte. 

No Paquistão, a rede de saúde da Universidade inclui o Hospital Universitário Aga Khan, com 710 camas, em Karachi, que inclui o único laboratório clínico do país certificado pelo Colégio de Patologistas Americanos. Também inclui quatro hospitais para mulheres e crianças com um total de 213 camas, para além de 264 centros médicos de proximidade em mais de 100 cidades em todo o país. 

Na África Oriental, a rede de saúde da Universidade inclui o Hospital Universitário Aga Khan, com 300 camas, em Nairobi, e 47 centros médicos e de diagnóstico no Quénia, Uganda e Tanzânia.

aku-afghanistan-mri_8_r.jpg


Um paciente a ser examinado por ressonância magnética no Instituto Médico Francês para Mães e Crianças (FMIC) em Cabul, Afeganistão.
Copyright: 
AKU / David Fox

No Afeganistão, a Universidade Aga Khan gere o Instituto Médico Francês para Crianças, com 160 camas, como parte de uma parceria com os governos de França e do Afeganistão e com a ONG francesa La Chaine de L'Espoir. Desde 2006, já tratou mais de 1 milhão de pacientes e realizou mais de 27 mil cirurgias. O laboratório do FMIC está conectado com os laboratórios da Universidade no Paquistão, dando aos pacientes do Afeganistão acesso a uma oferta completa de exames médicos.