Está aqui

About the Aga Khan Fund for Economic Development

Sobre o Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico

Como agência para o desenvolvimento internacional, dedicada à promoção do empreendedorismo e à criação de empresas economicamente viáveis em países em vias de desenvolvimento, o Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico (AKFED) trabalha com frequência em regiões do mundo que carecem de investimento estrangeiro direto. O AKFED funciona como uma rede de filiais com mais de 90 empresas em fase de projetos individuais que empregam mais de 47 000 pessoas. Em 2017, obteve receitas na ordem de 4,3 mil milhões de dólares, mas devido à sua ética de desenvolvimento, reinveste todos os lucros noutras ações de desenvolvimento.

Durante mais de 75 anos, o AKFED fez investimentos e geriu empresas em países em vias de desenvolvimento de África, Ásia Central e Sul da Ásia. O Fundo está ativo em 18 países em vias de desenvolvimento:Afeganistão, Bangladeche, Burkina Faso, Burundi, Costa do Marfim, Índia, Mali, Moçambique, Paquistão, Quénia, República Democrática do Congo, República do Quirguistão, Ruanda, Senegal, Síria, Tajiquistão, Tanzânia e Uganda. O AKFED visa criar empresas rentáveis e sustentáveis através de investimentos a longo prazo que resultem em posições equitativas sólidas. Isto, por sua vez, permite ao AKFED adotar uma abordagem prática ao fornecer experiência de gestão e técnica. Os lucros gerados pelo Fundo são reinvestidos noutras iniciativas de desenvolvimento económico ao abrigo do apoio do AKFED.

O AKFED trabalha frequentemente em colaboração com parceiros de desenvolvimento locais e internacionais para criar e gerir bens e serviços essenciais para o desenvolvimento económico. Estas vão desde a banca à energia elétrica, agroindústria, hotéis, companhias aéreas e telecomunicações. O AKFED trabalha também com os governos para ajudar a promover a criação de estruturas jurídicas e fiscais que incentivam o crescimento do setor privado. O AKFED, a convite de vários governos, ajudou setores críticos a fazer a transição para economias de mercado através do processo de privatização. Estas incluem setores como a banca, produção de eletricidade, turismo, fabrico e setor agrícola, em países como o Afeganistão, Paquistão, Tajiquistão e Uganda.

A abordagem do AKFED dá ênfase ao desenvolvimento de recursos humanos locais, incluindo capacidades de gestão, técnicas, marketing e financeiras. Outras características desta abordagem incluem a injeção de capital inicial, essencial para iniciar projetos nesses setores e países onde é difícil atrair investimento.

O AKFED tem uma visão a longo prazo para criar empresas viáveis, autossustentadas e rentáveis. Participa também na gestão das empresas nas quais investe, com o intuito de prepará-las para uma apropriação mais vasta pelos interesses locais.